quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

ORGANIZANDO UM DEPARTAMENTO DE MISSÕES NA IGREJA



PARTE 1

O que é um Missionário?  Atos 13:1-3


“Na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé, e Simeão, chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo. E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, jejuando, e orando, e pondo sobre eles as mãos, os despediram”
A palavra “missionário” não é usada na Palavra de Deus. Mas este fato não significa que ela seja uma palavra anti bíblica ou não-bíblica. A palavra “trindade” não é usada na Bíblia também. Mas a doutrina da trindade é ensinada explicitamente (1 João 5:7). Um missionário é alguém que é enviado, particularmente alguém que é enviado numa missão. E isto é o que Lucas descreve em Atos 13:1-3. Paulo e Barnabé eram missionários da Igreja em Antioquia, enviados para pregar o evangelho aos gentios.
O termo preciso e bíblico para missionário é “evangelista”. Um evangelista é um arauto do evangelho, um pregador de boas novas. Mas ele não é um pastor ou presbítero. E ele certamente não é um pregador itinerante ou autônomo! Um evangelista é um missionário. Filipe, o evangelista, era um missionário (Atos 21:8). Todos os pastores fazem a obra de um evangelista (2 Timóteo 4:5), mas o nosso Senhor deu alguns à Sua igreja que foram chamados especificamente para serem evangelistas ou missionários (Efésios 4:11), os quais devem ser sustentados e mantidos em sua obra pelas igrejas.
O que é um missionário?


Primeiro, UM MISSIONÁRIO É UM HOMEM.
Nenhuma mulher pode servir como um missionário, não mais do que uma mulher pode servir como um pastor! Deus não chamou mulheres para pregarem o evangelho, nunca! (1 Coríntios 14:35; 1 Timóteo 2:11-12). E ser uma esposa de missionário não faz de uma mulher uma missionária, não mais do que ser uma esposa de pastor faz de uma mulher uma pastora. Deus chama homens para fazer a Sua obra e dirige suas esposas para acompanhá-los.
 Segundo, UM MISSIONÁRIO É UM HOMEM COM A MENSAGEM DE DEUS.
Missionários são pregadores. Se um homem não foi dotado por Deus para pregar o evangelho, não importa quão sincero ele seja, o mesmo não serve como um missionário. E a mensagem que ele prega é, e deve ser, o evangelho da livre e soberana graça de Deus em Cristo, o Substituto do pecador.
Terceiro, UM MISSIONÁRIO É UM HOMEM COM A MISSÃO DE DEUS.
Ele é um homem chamado e dotado por Deus para estabelecer igrejas, treinar pastores e ajudar para estabelecer aqueles pastores e igrejas no evangelho da graça de Deus, de forma que eles possam continuar a obra do evangelho para as gerações vindouras. “Médicos missionários”, “missionários ligados a questões educacionais”, “missionários ligados a questões culturais” e “missionários ligados a projetos de construção” não são missionários! Missionários são homens enviados ao mundo para pregar o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, para reunir na colheita os eleitos de Deus espalhados pelo mundo.  


Don Fortner
ETIMOLOGIA DA MISSIOLOGIA:

Etimologia é a origem duma palavra. Neste caso, Missiologia:  Logia = estudo, Missio = vem do substantivo “missione”. O qual, por sua vez, vem do verbo “mittere” que significa ENVIAR.

– ENVIAR (Port.) ou MITTERE (Latim) é igual a “APOSTELLÔ” (Grego).

_ Tanto MITTERE (latim) quanto APOSTELLÔ significam ENVIAR.

A) O quê significa exatamente o verbo ENVIAR?

(Mine Dic. Aurélio) – Enviar é: “1. Expedir, remeter; 2. Encaminhar, conduzir; 3.Mandar (alguém) numa missão”

APÓSTOLO = MISSIONÁRIO = ENVIADO
 (Grego)                  (Latim)            (Português)

B) Quadro Etimológico:


LÍNGUA
VERBO
SUBSTANTIVO
SIGNIFICADO
EQUIVALENTE

GREGO

APOSTELLÔ

APÓSTOLO

ENVIAR

APÓSTOLO

LATIM

MITTERE

MISSIONE

ENVIAR

MISSIO

PORTUGUÊS

ENVIAR

ENVIADO

ENVIAR

MISSIONÁRIO



OBS.: NA BÍBLIA O VOCÁBULO “MISSIONÁRIO” APARECE NA FORMA GREGA “APÓSTOLO”

C) Definição: Missiologia é o estudo das missões.

D) Aplicação da Missiologia:

            A missiologia aplica – se ao estudo de missões nos seus mais variados aspectos.  A saber: Cultura, Geografia, Pesquisar, Estratégias, Análise, Antropologia, Definições, Etc.

E) Diferença entre Missiólogo e Missionário:

A) Missiólogo: Aquele que copila, organiza, analisa, interpreta a realidade dos movimentos de evangelização e cria estratégias e métodos para que o mundo seja alcançado pelo Evangelho. Isto é bem mais do que simplesmente dizer: “missiólogo é aquele que se aplica ao estudo e pesquisa de missões”!

B) Missionário: Aquele que é enviado para plantar igrejas onde ainda não há testemunhas, com todas as suas funções: pregação, ensino, assistência social, e adoração; e para tal, ele irá atravessar barreiras lingüísticas, culturais e/ou geográficas.

F) Donald Mc Gavran – O Pai da Missiologia:

·         Nasceu na Índia em 1897. Filho e neto de missionário, Mc Gravan iniciou sua carreira em Harda, na Índia, como Superintendente de uma escola de missões, na Sociedade Missionária Cristã Unida. Mais tarde serviu em outros cargos como na Educação e Saúde.
Nos anos 30 voltou para os E.U.A. onde cursou o Doutorado em Filosofia, na Universidade de Colúmbia.
Mc Gravan percebera de há muito que a obra realizada pelos missionários estava seguindo bem pouco do sentido de alcançar o alvo de evangelização mundial, e ansiava para que fossem feitas pesquisas a fim de se desenvolver novos métodos e estratégias missionárias.

Em 1961 fundou o Instituto de Crescimento da Igreja. Mc Gravan estudou as atividades evangelísticas, a fim de descobrir princípios e metodologias que resultassem no melhor crescimento da Igreja. Sua tese é que as ciências sociais podem associar a Tarefa missionária. A pesquisa e análise têm condições de remover obstáculos ao crescimento da Igreja.  Para Donald Mc Gravan e seus discípulos, a real incorporação dos convertidos na Igreja (e não necessariamente o números de decisões) era o fator – chave na avaliação da metodologia missionária.

Ele definiu 2 “estágios do Cristianismo” : “discipulado e aperfeiçoamento”. O primeiro, abrange os passos a serem dados para a pessoa se tornar cristã; o segundo, o crescimento na vida cristã.  A pesquisa tornou – se o principal instrumento de Gravan. Baseado nela concluiu que os métodos tradicionais de evangelização em massa contribuem muito pouco para o crescimento real da Igreja. Em virtude de seus escritos e suas idéias inovadoras, Mc Gravan tem estado no centro dos debates a respeito da estratégia missionária. Ele “perturbou” completamente a antiga, tradicional e grandemente improdutiva metodologia missionária que dominou todas as missões antes de 1955.
Em muitos aspectos, sua importância não se encontra tanto na exatidão de suas respostas, mas nas questões significativas que levantou e na maneira como (mais que qualquer outro!) ele levou o estudo das missões de simples cursos introdutórios em algumas escolas cristãs para um nível de estudo profissional abrangente, em todo o Mundo.


VOCÊ TEM ORADO POR MISSÕES DIARIAMENTE?


JANELA 10/40


É provável que você já tenha ouvido ou lido alguma coisa sobre a janela 10/40. Mas, você sabe exatamente o que é? Sabe porque ela é assim chamada? Ou quais os países que a compõem?

Dada a importância do assunto, não poderíamos terminar esta apostila sem falarmos a respeito. Todavia, daremos apenas uma pincelada. Incentivamos aos alunos que prossigam na pesquisa e na atualização de informações alusivas ao tema proposto.

A) Quanto ao nome:

A pronúncia correta do nome é “JANELA 10/40” (dez – quarenta) E não “dez – por – quarenta”. Antigamente era chamada de “Cinturão de resistência”

B) Quanto à localização:

Está localizada entre as LATITUDES 10º e 40º norte do Equador. Abrange desde o Norte da África, Oriente Médio e Ásia.

C) Realidades da Janela:

A janela tem em vista a maior parte das áreas do mundo com necessidades físicas e espirituais. A maioria dos países do “Mundo A” estão aqui localizados, e também, a maioria dos governos que se opõem ao Cristianismo, e ainda, os três maiores blocos religiosos do Mundo: Islamismo, Hinduísmo e Budismo.

Razões para Focalizarmos a Janela 10/40:

Vejamos quais as três razões básicas pelas quais devemos focalizar a evangelização nesta área.

Primeira Razão: A Primeira Razão é fundamental razão pela qual devemos enfatizar a evangelização na Janela 10/40 é por causa do significado bíblico e histórico desta área. A Bíblia começa com a explicação que Adão e Eva foram colocados por Deus no “Jardim do Éden”, lugar onde é hoje o “coração da Janela 10/40”. O plano de Deus expresso em Gn 1.26 é que o homem teria domínio sobre a terra e deveria preenchê – la.
Mas quando Adão e Eva pecaram contra Deus, perderam seu domínio sobre a terra.Com o comportamento pecaminoso do homem sempre crescente.
Deus resolveu intervir e julgou a terra com o “Dilúvio”. Depois, os homens vieram estabelecer seu novo intento para dominar: construíram a “Torre de Babel”. Essa obra também ocorreu no “coração da Janela 10/40”, e foi feita como uma provocação a Deus (Gn 11.3). Novamente, Deus estendeu sua mão como julgamento. O resultado foi a introdução de línguas, separação de povos, e, formação de nações.
Cristo nasceu em Israel, país que compõe a Janela 10/40. Viveu uma vida perfeita, morreu sacrificialmente na cruz e ergueu – se triunfante sobre a morte. A Igreja primitiva anunciou isto, mas foi somente após as viagens missionárias do Apóstolo Paulo que a proclamação ocorreu mais além da Janela 10/40. Sem dúvida, é uma área de significado bíblico e histórico.

Segunda Razão: A Segunda razão, é porque ali VIVE O MAIOR NÚMERO DE POVOS NÃO – ALCANÇADOS DO MUNDO. Dentro da Janela 10/40 está 1/3 da área total da Terra, 2/3 da população mundial; cerca de 3 BILHÕES DE PESSOAS! Nesta área estão, estatisticamente, as pessoas MAIS POBRES DO MUNDO! Vivendo, ou melhor, sobrevivendo, em estado de absoluta miséria.

Sessenta e dois países formam a Janela 10/40. Dos quais, 37 estão totalmente dentro do “RETÂNGULO” da Janela 10/40. Dos 62 países 18 são completamente “fechados” ao Evangelho. Isto representa um total de 97% dos povos inalcançados.

Terceira Razão: A Terceira Razão, é a presença das TRÊS MAIORES RELIGIÕES DE GRANDE DOMÍNIO NO MUNDO.  A maioria dos adeptos do Islamismo, Hinduísmo e Budismo, vive na Janela 10/40.
A presença Islã é desde o Norte da África até o Oriente – Médio, perfazendo um total de 700 milhões de pessoas. Nós devemos fazer o máximo possível para mostrar aos muçulmanos que o grande profeta descrito ao Alcorão, não é Maomé, mas sim Jesus Cristo.
No meio da Janela 10/40 está a Índia, e o hinduísmo também constitui um total de 700 milhões de pessoas.
À direita da Janela 10/40, temos a China que é o mundo budista.
Há 1,2 bilhões de chineses que estão precisando desesperadamente de Jesus. Eles representam o maior bloco “IDENTIFICÁVEL” da Janela 10/40. Na verdade, todo o Mundo necessita do Evangelho. Mas, em nenhum outro lugar é tão gigante esta necessidade!

Segundo os pesquisadores, existem cerca de  11.286 grupos étnicos, ou seja, povos, na Terra. E a Bíblia diz que o Evangelho precisa ser pregado a cada um deles!...

“Os Três Mundos”:

·         MUNDO A: Não Evangelizado – 1%: São nações e povos no mundo menos evangelizado. Aquelas nações e povos que são menos de 50% evangelizados.

·         MUNDO B: Não Cristão, porém Evangelizado – 8,5%: São nações e povos no mundo não – cristão evangelizado. Aquelas nações que são mais de 50% evangelizadas e menos de 60% cristãos.

·         MUNDO C: Mundo Cristão (incluindo nominais) – 90,1%. São nações e povos no mundo cristão. Aquelas nações e povos que são mais do que 60% cristãos professos. Isto inclui todos os cristãos nominais e filiados de todas as tradições eclesiológicas e não somente os protestantes. A grande maioria dos países do Mundo A, estão na Janela 10/40.






PARTE 2

ORGANIZANDO UM DEPARTAMENTO DE MISSÕES NA IGREJA

“Se Deus quer a evangelização do mundo, mas te recusas sustentar missões,
 então te opões à vontade de Deus” Oswald Smith

Temos diante de nós um enorme desafio, mas a igreja de Jesus Cristo, desconhecendo o trunfo que tem nas mãos (Romanos 1.16,1), não avança em direção aos povos não alcançados; ela tem se esquecido da Grande Comissão que lhe foi confiada: “Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda criatura.” (Marcos 16.15) A obra missionária deve ser o ápice, arraigando-se na mente da igreja como está na mente de Seu Mestre. Todos os departamentos da igreja devem enfatizar missões em todos os aspectos como propósito final de sua existência na terra. Jesus não delegou missões somente para um grupo. Sua vida era e é Missões! Então, se a igreja é o corpo de Cristo, ela tem que seguir as orientações daquele que é Cabeça. Precisamos saturar cada crente com a mensagem missionária, levando-o a compreender a razão da sua existência. Se agirmos assim, será o ataque final contra o inimigo de Deus. É claro que uma igreja missiocêntrica não exclui a necessidade de um departamento de missões. Ele é essencial por uma questão de promoção, organização e administração de recursos. Neste artigo, abordaremos o tema: “Organizando o Departamento de Missões em sua igreja.” Este assunto é muito importante, pois levará, não somente um grupo, mas toda a igreja a entender seu papel e responsabilidade em missões. São passos práticos e objetivos para alcançarmos um trabalho eficaz.

Alguns passos práticos para desenvolver o trabalho

1 – Quem são as pessoas que podem servir no departamento de missões?

Dada à importância do assunto, o pastor fará bem se orar e pedir a orientação de Deus na escolha das pessoas certas. Deus conhece os corações, enquanto o homem vê somente o exterior (I Samuel 16.17). Segundo a primeira epístola a Timóteo, capítulo 3, os que servem devem ser responsáveis, sinceros, não gananciosos, irrepreensíveis, que não sejam neófitos (sem conhecimento), primeiramente sejam provados e depois sirvam. É necessário eleger pessoas comprometidas, que tenham qualidade e sejam cheias do Espírito Santo.

 2 – Qual será o espaço físico a ser ocupado pelo departamento de missões?

Temos visto alguns irmãos tristes e desencorajados quanto ao trabalho do departamento de missões, porque o pastor os relegou ao último plano na escala de prioridades da igreja, dizendo: “para missões qualquer coisa serve”, “vai se preparando para sofrer!”. E então, o departamento de missões é espremido num cantinho de uma sala, ou na pior das hipóteses, realiza seus trabalhos em um banco da igreja, e depois guarda todo o material em uma estante emprestada. Nenhum grupo pode produzir um bom trabalho sem um local apropriado para se reunir, orar e desempenhar suas tarefas. Na verdade, para começar qualquer coisa serve desde que seja o melhor. Pregamos sempre que: O MELHOR DEVE SER PARA MISSÕES.

3 – Providenciar recursos técnicos, tais como:

Computador, móveis, papéis, arquivos e uma pequena livraria com literaturas voltadas somente para missões. Geralmente, todos os recursos estão disponíveis com os membros da igreja. Basta conscientiza-los e leva-los a ver missões como prioridade de Deus em suas vidas. Deus dará o melhor para quem der o melhor para Ele.
4 – Como providenciar treinamento e reciclagem para os membros do departamento de missões?

Encorajando-os a fazer um curso, ler muitos livros sobre o assunto (biografias, estudos, histórias de missões, e especial a Bíblia), participar de congressos e conferências para que a visão seja ampliada. Deve-se realizar reuniões para uma avaliação e apresentação de novos desafios. É muito importante que, em uma ou outra reunião, o pastor ministre a Palavra para os responsáveis, incentivando-os a fazer o trabalho com qualidade.

5 – Quais as qualidades que devem ser observadas nos servos?

A – Seriedade quanto à posição da igreja na retaguarda do campo missionário.
B – Disciplina no cumprimento de cada obrigação.
C – Compromisso com Deus e conhecimento bíblico.
D – Ser cheio do Espírito Santo e sensível à sua orientação (Atos 15.28)
E – Demonstrar visão transcultural e interdenominacional; isenção de preconceitos é fundamental.
F – A preocupação primária de cada membro deve ser de servir com perfeição e não somente ocupar uma posição de destaque na igreja.
G – Mobilizar a igreja a cumprir fielmente o envio do sustento:

O número de igrejas que abandonam seus missionários no campo é impressionante. As agências missionárias têm tido sérios problemas e sofrido muito com as atitudes dos irresponsáveis de determinadas igrejas. Missionários no campo têm seu ministério e saúde prejudicados; muitos têm vivido períodos de grande tensão e sofrimento por não chegar o sustento mensal, tal como a igreja prometera. Ás vezes, lutas desse tipo são piores do que a adaptação, choques culturais e perseguição no campo.
As igrejas precisam saber que, se falham, não estão falhando com um homem apenas, mas é um compromisso com Deus e deve ser tratado com santo temor. Cremos que este esclarecimento será de grande valor para sua vida. Agora, passaremos para a organização de um departamento de missões. Se você deseja organizar um departamento de missões em sua igreja ou pretende reorganizá-lo, um organograma ajudará a equipe funcionar melhor. Ele auxilia a clarear as idéias sobre as funções de cada membro.
Antes de vermos o organograma, vejamos os importantes para esta tarefa: Descobrindo maneiras eficazes de informar os membros da igreja sobre missões:

A – As pessoas precisam de informações, antes de qualquer outra coisa. Os irmãos precisam saber da existência dos campos brancos, dos povos não alcançados, da falta de obreiros e da necessidade de recursos para o Evangelho atingir todas as tribos, raças, línguas e nações (Apocalipse 5.9) etc. Assim, cada um conhecerá a responsabilidade pessoal no projeto de ganhar o mundo para Jesus.
B – Essas informações poderão ser dadas através de conferências missionárias, cartazes, murais, boletins informativos de missões, momentos missionários (5 a 10 minutos durante o culto) e muitas outras idéias que poderão surgir.
1 – Organizando um Conselho Missionário – agora vamos ao trabalho com organograma:
1.1 – Encontrar pessoas que tenham visão e disposição para trabalhar e servir.
1.2 – Capacitar os irmãos para esta tarefa através de leitura de livros sobre o assunto.
1.3 – Manter contato com agências missionárias, participar de congressos e conferências missionárias etc. A função do Conselho Missionário é fazer missões acontecer na igreja. Para que isso aconteça, você terá que dividir os membros do Conselho de tal forma:






CONSELHO MISSIONÁRIO

1 – Comissão de Oração e Promoção

A – Levar os irmãos a orar por missões: pelos missionários, pelos campos, por mantenedores etc. Conhecendo as necessidades, muitos sentirão o desejo de orar por missões espontaneamente.
B – Começar reunindo pessoas conhecidas e que queiram, de alguma forma, estar envolvidas no cumprimento da Grande Comissão.
C – Marcar um local, dia, hora e é só começar o Grupo de Oração! Devem ser levados aos irmãos motivos específicos de oração, envolvendo-os no ministério daqueles que dão suas vidas para que a salvação em Cristo seja anunciada a todos os homens. Marcar reuniões de oração ou separar um período antes do culto para orar. Uma boa idéia é usar o livro Intercessão Mundial, que traz diariamente um país e suas necessidades; no fim do ano, a igreja terá intercedido por todos os países de forma objetiva.

Lembre-se que o grupo deve:

A – Despertar, desenvolver um forte movimento de oração pró-missões na igreja e nos lares. O alvo é mobilizar toda a igreja para declarar guerra contra as trevas e orar com compromisso. Organizar grupos de oração com disciplina e participação.
B – Prover informações das necessidades locais e mundiais.
C – Promover novas estratégias para impactar a igreja local.
D – Realizar apresentações missionárias, jograis, cantatas, hinos especiais, peças teatrais etc.
E – Manter contato com missionários de campo e com os que estiverem em treinamento, a fim de orar e realimentar a igreja com informações.

2 – Comissão de Educação Missionária

A – Promove cultos missionários, seminários, cursos e outras atividades similares para o departamento e para a igreja.
B – Motiva os irmãos a lerem a Bíblia e livros. Enfatiza a importância de se adquirir conhecimento. Os livros devem estar disponíveis para os que os solicitarem.
C – Organiza uma biblioteca missionária. Compra livros novos, incentiva a doação de livros usados, mas todos sobre missões. Os livros podem ser emprestados até que todos tenham participado da leitura. Pode-se cobrar uma pequena taxa de empréstimo que ajudará a própria livraria na aquisição de novos livros e objetos típicos.
D – Deve prover material e informações para a Comissão de Oração e Promoção.
E – Muitos materiais podem ser adquiridos junto às embaixadas, gratuitamente. Algumas oferecem livros e lindos posters que podem ser usados como decoração.
F – Mobiliza as classes da Escola Dominical para missões. Diferentes competições podem ser organizadas para que as classes levantem fundos para missões. O prêmio pode ser um livro, um mapa ou algo relacionado ao assunto.
G – Deve assinar revistas ou periódicos missionários para aumentar as fontes de informações.
H – Organiza um boletim informativo contendo mensagens mostrando base bíblica para missões, projetos missionários, costumes e culturas de diferentes povos e tudo o que for necessário para despertar o interesse de todos.



3 – Comissão de Finanças

A – Administra as entradas e saídas de dinheiro. Isto é realizado com o aval do pastor e do coordenador.
B – Promove, mobiliza e cria novos meios de arrecadação de recursos: Compromisso de Fé; Oferta Mensal; Oferta Anual...
C – Canaliza o envio do sustento do missionário.
D – Presta conta para o Pastor e a igreja.

4 – Comissão de Apoio

A – Organiza programas missionários: cantinas, bazares, decoração, hospedagem, alimentação etc.
B – Apóia as atividades das demais comissões, quando necessário. Em evento de grande porte, caso faltem os voluntários para a organização, transporte, limpeza etc, a Comissão de Apoio deve assessorar. Deve alista muitos voluntários com antecedência.
C – Deve auxiliar todos os missionários que volta do campo, providenciando moradia ou hospedagem. Desta forma o trabalho de missões na igreja local poderá fluir de tal forma, que muitos missionários seja enviados, haja um despertar para o evangelismo e discipulado local e o crescimento da igreja. Deus aguarda nossa disposição!!! Para Meditar!!!: Cada vez mais o mundo está se unindo em blocos comuns de cooperação, especialmente na área econômica. Exs: Mercado Comum Europeu, na França; Mercosul, na América do Sul; APEC (Cooperação Econômica Pacifica da Ásia) etc. A Igreja do Senhor Jesus Cristo promoverá UNIDADE ou mais divisão e maior distância? OBS.: Desejando outras informações, envie-nos sua mensagem. Teremos imenso prazer em atender.

6 – Quais devem ser os primeiro passos?

A – Orar – falaremos do assunto na parte da Comissão de Oração e Promoção, mas queremos enfatizar que a oração específica é de grande importância nos projetos e estratégias. A oração é a arma espiritual para a batalha espiritual.
B – Reconhecer e auxiliar os missionários levantados por Deus na própria igreja, ou de outras igrejas que estão precisando de ajuda a fim de saírem ao campo (trabalho em parceria). É claro que a decisão final sobre quem receberá sustento deve ser dada pela igreja juntamente com seu pastor. Quando a igreja ainda não tem seu próprio missionário, uma boa opção é adotar alguém de outra igreja. Ela (igreja) será tão abençoada quanto a igreja enviadora, pois Deus honrará sua fé e decisão de derrubar um dos maiores trunfos de Satanás: AS BARREIRAS DENOMINACIONAIS. Para a adoção, é necessário solicitar que o missionário passe alguns dias com a igreja para que seja conhecido pela mesma. Assim ele poderá apresentar a visão e desenvolver a comunhão com os irmãos. Um relacionamento contínuo deve ser mantido.

7 – Identificar os alvos:

A – Quanto á igreja: trabalhar com alvos espirituais e financeiros bem definidos, pois ajudarão na avaliação dos resultados. Cada alvo atingido deve ser renovado e ampliado pela fé. Não se deve trabalhar com mais de dois alvos por mês.
B – Quanto ao campo: enviar, pelo menos, um missionário ou uma família ao campo transcultural. Orar para que Deus levante o missionário e mostre o campo. Adotar um ou dois missionários de outras igrejas para ajudá-los com o sustento.
C – Quanto ao missionário: Manter contato através de cartas, e-mails, telefonemas, incentivando-o a prosseguir. Hoje temos a facilidade do MSN, Skype e outros. Mobilizar os demais membros da igreja para que façam o mesmo. Quando o missionário se encontra longe da sua pátria, sente necessidade de manter viva a comunhão com os que ficaram na retaguarda.


 8 – Pesquisa sobre os alvos:

Trazer o país e o povo-alvo ao conhecimento da igreja através de fotos, cartazes, slides, transparências, vídeos, jornais, revistas, artigos etc. Todo o material deve ser apresentado nos cultos durante o momento missionário.

9 – Providenciar treinamento teológico e transcultural para os vocacionados:

A – Igreja – local onde todo missionário deve ter sua primeira fase de treinamento.
Leia o livro de Atos 13.1, que fala sobre Barnabé e Saulo. Eles foram os primeiros missionários, oficialmente separados e enviados pela igreja primitiva. Por serem tratados de mestres, cremos que até o momento do envio, eles tiveram um bom treinamento ali (Atos 11.26-30).
B – Ofereça oportunidades para o vocacionado testemunhar. Pode-se começar por reuniões simples para eliminar a timidez e depois em cultos especiais.
C – Aconselhe o vocacionado a ler bons livros de caráter teológico/doutrinário e boas biografias de missionários (neste site temos um ícone sobre livros). À medida que ele cresce em conhecimento bíblico geral, pode ser convidado a pregar, ensinar na Escola Dominical ou liderar projetos específicos, tais como: culto familiar, acampamento de novos convertidos, evangelismo de casa em casa, hospitais etc.

10 – Enviar o missionário com apoio de uma boa agência:

Agências que trabalham desvinculadas da igreja local não são aconselháveis. Muitos líderes colocam as agências missionárias à margem do plano de Deus na questão da evangelização do mundo, dizendo que as igrejas locais podem fazer sozinhas a tarefa da missão transcultural.
Porém, por falta de conhecimento do campo e de treinamento adequado, temos uma infinidade de relatos de problemas no campo, incluindo relatórios falsos, divisão de igrejas já plantadas, sofrimento devido as doenças desconhecidas, dificuldades no envio do sustento e até missionários que se desviaram da fé por se sentirem abandonados pelas igrejas enviadoras.
De fato, são muitas as dificuldades e é altamente custoso para a igreja local realizar pesquisas de campo e organizar todo o processo de treinamento missionário. É uma tarefa que exige tempo, disponibilidade, saúde e isenção denominacional.
Vários fatores na história da igreja favoreceram o surgimento das agências missionárias: “Deus levantou as Agências Missionárias como ponto de encontro e equilíbrio para que igrejas de diferentes denominações possam trabalhar em comunhão e cooperação sem, contudo danificar suas estruturas e características próprias.” (Pr. Waldemar Carvalho).
O desenvolvimento da igreja em várias denominações trouxe uma divisão dos recursos de Deus para a evangelização do mundo. Se o custo de um projeto é altíssimo para uma igreja, a agência missionária é o “ponto neutro” que centraliza os esforços de várias igrejas ou denominações e presta serviço de baixo custo a elas. Werrem Webster, em seu livro “Missões Transculturais, Uma Perspectiva Estratégica” fez a seguinte pergunta: “A principal razão para o surgimento das agências missionárias se deve ao fracasso das igrejas e dos crentes locais em evangelizar, ou será que elas possuem um papel estratégico especial dentro do plano de Deus? A resposta é sim para ambas.
A igreja fracassou pela própria divisão do corpo em facções. A unidade é a base dos primeiros capítulos do livro de Atos 1.14; 2.43,46 diz: “Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum.” Enfim, a agência missionária é um departamento que ajuda a igreja a canalizar seus recursos de forma mais prática e objetiva. Este trabalho em conjunto economiza tempo e recursos financeiros.




PARTE 3

O QUE É O DOMINGO DA IGREJA PERSEGUIDA?
O Domingo da Igreja Perseguida (DIP) foi criado pelo Irmão André, fundador da Portas Abertas, com o objetivo de unir cristãos em torno de um só motivo: nossos irmãos que pagam um alto preço por sua fé.
A data varia de ano em ano, pois é marcada para o domingo seguinte ao de Pentecostes. Esse critério foi adotado porque, no relato bíblico em Atos 4, o início das perseguições aos cristãos acontece logo após a descida do Espírito Santo, com a prisão de Pedro e João. Simbolicamente, pode-se dizer que essa foi a "fundação" da Igreja Perseguida.
Organizadores voluntários mobilizando igrejas para o DIP
Em 2008, 1.719 igrejas brasileiras participaram do DIP. Essa mobilização só foi possível graças à ação de voluntários – pessoas que conhecem a causa da Igreja Perseguida e se prontificam a divulgar, em suas igrejas e comunidades, as necessidades dos nossos irmãos perseguidos.
Em 2009, o DIP acontecerá no dia 7 de junho. Precisamos de sua ajuda para envolver um número maior de participantes. Até que todas as igrejas brasileiras conheçam a realidade dos cristãos perseguidos, não podemos nos acomodar!
Nos meses que antecedem o DIP, a Revista Portas Abertas publica suplementos e testemunhos que servirão de ferramenta para o organizador. Se você ainda não recebe a revista, veja aqui como é fácil tê-la todos os meses em sua casa.
Um dia inteiro de atividades: você escolhe a melhor para sua igreja
Um dia inteiro dedicado à oração e à lembrança desses irmãos que sofrem por sua fé! Irmãos que são exemplo de perseverança e de amor ao nosso Deus. As classes de escola dominical, as reuniões dos departamentos e os cultos desse dia poderão ser inteiramente dedicados ao DIP.
Esta é uma oportunidade para envolver adultos, jovens, adolescentes e crianças da Igreja brasileira com a Igreja Perseguida. E isso é feito por meio da oração e do relato de histórias e variadas situações vividas por nossos irmãos perseguidos.

SITES CONSULTADOS



Prof° Gildelanio da Silva - Mestrando em Teologia
 
gildelanio@hotmail.com (83.8885.3936 / 9965.1398)
 
CASO QUEIRA COPIAR, FAVOR CITAR FONTE E AUTORIA. GRATO.



O www.projeto-mobilizacao.blogspot.com  
AGRADECE SUA VISITA!

SIGA ESTE BLOG E INDIQUE A SEUS AMIGOS






Nenhum comentário:

Postar um comentário