DEIXE SEU RECADO PARA O EDITOR

sábado, 21 de janeiro de 2012

MEU PROJETO PARA MONOGRAFIA




SEMINÁRIO TEOLÓGICO DA MISSÃO JUVEP





GILDELANIO DA SILVA




SINCRETISMO RELIGIOSO
 NAS IGREJAS EVANGÉLICAS BRASILEIRAS



JOÃO PESSOA - PB
2010




GILDELANIO DA SILVA



SINCRETISMO RELIGIOSO
NAS IGREJAS EVANGÉLICAS BRASILEIRAS



Projeto de pesquisa para elaboração de monografia para o curso de Formação Superior em Teologia. Profº Patrick C. Silva.

Orientador: José Roberto Prado. (Bacharel em Teologia com ênfase em Missiologia na UNELA (Faculdade São José - Costa Rica).


JOÃO PESSOA - PB
2010




SUMÁRIO

1.      INTRODUÇÃO.......................................................................................4
2.      OBJETIVOS............................................................................................6
                        OBJETIVO GERAL....................................................................6
                        OBJETIVOS ESPECÍFICOS......................................................6
3.      JUSTIVICATIVA.....................................................................................7
                        HIPÓTESE..................................................................................7
4.      FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA...........................................................9
5.      METODOLOGIA....................................................................................11
6.      CRONOLOGIA.......................................................................................12
7.      REFERÊNCIAS......................................................................................13



8.      INTRODUÇÃO


Sendo feita uma análise antropológica ou sociológica do mundo, tanto no passado como no presente, chega-se a uma conclusão muito óbvia: O MUNDO É RELIGIOSO. Em qualquer civilização é possível encontrar  rastros de religiosidade de níveis variados desde os tempos primórdios da humanidade. Já que a religião é tão presente dentre os povos a sua influência na formação geral é tão contundente (como bem defende o autor Valdemir Damião em História das Religiões, CPAD, 2003) vale uma análise de suas heranças no decorrer da história.
Logo, a perspectiva de analisar a religiosidade do Brasil (marcado pelo pluralismo cultural e religioso) é que este trabalho caminha na busca de identificar por que tanto sincretismo no meio evangélico. A final, por que os evangélicos reprovam a idolatria, a magia, o encantamento, os rituais de ocultismo e muitas outras práticas, todavia encontram-se as mesmas práticas (com outros nomes) nas suas formas de culto? O erro estaria em outros fazerem e não nós evangélicos protestantes ou não estamos percebendo o quanto já cedemos à força do sincretismo brasileiro? (problematização).
Quando se verifica o tema SINCRETISMO RELIGIOSO é possível notar que todos os seguimentos, de alguma forma, já passaram por mudanças significativas do formato padrão de sua religião por conta da grande influência do sincretismo religioso no Brasil. Apesar de muitos ainda não admitirem esta mistura de ritos, crenças estrutura dos templos e formas de governo, há quem diga, após uma boa análise, que o Brasil está a caminho de uma religião nacional que descreva a mistura das mais influentes religiões brasileiras: Catolicismo, Protestantismo e Espiritismo. Por ventura quem usa este método tríplice de religião não tem alcançado êxito e grandes proporções de seguidores? As estatísticas respondem que sim.
O objetivo desta pesquisa é identificar e descrever o sincretismo religioso nas igrejas evangélicas do Brasil. Partindo do pressuposto de que, só após uma análise do processo religioso brasileiro e dos movimentos que se formaram a partir da chegada do protestantismo no Brasil, é que podemos responder: quem poderia ter influenciado quem? Se aqui já havia nativos desde a era do descobrimento, se ao Brasil vieram europeus e africanos com suas devidas religiões, se o protestantismo chegou três séculos depois do descobrimento do Brasil e se podemos ver rastros das religiões estrangeiras e nativas no meio evangélico, vale muito descrever como e quando houve esta “mistura” e se houve a ruptura dos princípios essenciais do protestantismo no Brasil .
A metodologia usada nesta pesquisa será totalmente bibliográfica já que em alguns materiais bibliográficos é possível encontrar dados estatísticos e outras informações adquiridas por outros métodos que usaremos neste trabalho.  A pesquisa foi dividida em três capítulos:
No primeiro capítulo, apresenta-se o processo de religiosidade do Brasil, na tentativa de descrever as religiões, crenças e práticas que formaram o pano de fundo do sincretismo religioso brasileiro.
No segundo capítulo, busca-se analisar quando e como o sincretismo religioso tomou forma concreta nas igrejas evangélicas do Brasil, propondo um olhar comparativo com o que faziam e criam os pais dos primeiros séculos da igreja cristã e os reformadores protestantes dos séculos XVI e XVII.
No terceiro capítulo, coloca-se mais claramente, os rastros das religiões animista, afrodescendente e católica, no meio evangélico, mostrando o sincretismo que compromete as verdades essenciais de nossa fé cristã pautadas nas Sagradas Escrituras.
Este trabalho finaliza, portanto, com uma apreciação pessoal (considerações finais) do autor com base nos cinco pontos que resumem a reforma (SOLA FIDE, SOLA GRATIA, SOLA SCRIPTURA, SOLIS CRISTUS, SOLE DEO GLORIA) em comparação das afirmativas e práticas evangélicas contemporâneas após a influência do sincretismo.



2.      OBJETIVOS


2.1  OBJETIVO GERAL


Identificar o sincretismo religioso nas igrejas evangélicas brasileiras advindos do animismo, das religiões afrodecendentes e do catolicismo romano.


2.2   OBJETIVOS ESPECÍFICOS


2.2.1 - Descrever o processo de religiosidade no Brasil.


2.2.2 - Analisar quando e como o sincretismo religioso tomou parte nas igrejas evangélicas brasileiras.


2.2.3 - Identificar os rastros animistas, afrodecendentes e católicos nas igrejas evangélicas brasileiras.


3.      JUSTIFICATIVA


3.1  HIPÓTESE

Este projeto parte do pressuposto de que há um forte e marcante sincretismo religioso nas igrejas evangélicas do Brasil. A pesquisa surgiu da seguinte problemática: Como as igrejas evangélicas reprovam em seus discursos as crenças e práticas de outras religiões, como: católica, animista e afrodescendente, contudo, são vistas as mesmas práticas e crenças nas igrejas mesmo que sejam com outros nomes? É possível notar várias práticas de idolatria a líderes e astros gospel famosos, rituais mágicos, objetos poderosos, invocação de espíritos e anjos, dentre tantas práticas chocantes, outras como poderosas correntes e campanhas com a intenção clara de obtenção de lucros e exploração da fé, as quais podem ser encontradas em outros seguimentos religiosos do passado como do presente. As argumentações e pesquisas deste trabalho apontam-lhes como vindas do animismo indígena do Brasil já existente aqui bem antes dos colonizadores, das religiões africanas dos escravos da era colonial, como também do catolicismo romano (da Europa) da época do descobrimento. Como já foi dito por outros colegas de seminário: somos quem somos porque viemos de onde viemos.
Até mesmo os leigos no assunto não conseguem esquivar-se do abalo confuso da mistura religiosa que percorre o Brasil cristão. Muitos até questionam: para que tantas religiões se Jesus deixou apenas uma? Outros já fazem conclusões do tipo: é tudo comércio da fé. Eles falam isto porque nota que não há mais uma homogeneidade e unidade das doutrinas e características fundamentais das igrejas. Eles questionam o porquê de tantas denominações diferentes se todas pregam um mesmo Deus. Os teóricos afirmam que estamos em época de crise no evangelicalismo brasileiro, outros garantem que o belo no Brasil religioso é sua pluralidade e mistura. Não há quem fuja da influência da marca registrada brasileira – o sincretismo.
Influenciar e ser influenciado numa sociedade são fatos sociais comuns. O que se deve conferir são as implicações destas influências, e, porque há tantas implicações de extrema relevância, é que se deve fazer uma pesquisa deste nível, mesmo que seja com o objetivo acadêmico. Se houveram acréscimos, quais foram? Se houveram perdas e inversões de valores, quais e como se sucederam? Se algumas práticas e ordenanças tornaram-se espúrias e fora de uso, por que então não comovem a todos e não há um freio neste trem desgovernado? O fato é que uns não sabem o perigo das heresias que formaram suas convicções (porque foram discipulado assim) - se soubessem poderiam reagir e mudar suas atitudes - já outros que poderiam influenciar uma massa maior para o bem e a sã doutrina, estes percebem o problema, sabem o fim de seus efeitos, mas “dão um jeitinho” de parecer de Deus as crenças e práticas que têm distanciado muitos do genuíno evangelho da graça de Deus, porém os tem favorecido (digo dos líderes,estes que não entram no reino e querem impedir os que querem e estão entrando).
Contudo, esta pesquisa, além de responder as questões já citadas, busca também contribuir com as igrejas evangélicas em comparar os pontos doutrinários e as práticas de culto da igreja cristã histórica e/ou reformada com as igrejas que aderiram ao sincretismo para se fazer uma reavaliação das verdades essenciais da fé cristã no seu contexto pessoal, denominacional e também nacional. Sabendo que, sempre a igreja cristã foi vítima de heresias e devido à necessidade de reformar e sempre reformar seus credos e suas confissões, pode-se então, declarar-se válido todo trabalho que busca aferir as crenças e práticas da igreja perante as verdades e ordenanças descritas na Bíblia Sagrada.



  1. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
Tratar de religião em definição é trabalhoso por haver dicionários que apresentam conceitos variados e incompletos e o que apresenta pelos teóricos de várias disciplinas acadêmicas também dificulta um síntese completa. Vou contar como a obra de Valdemir Damião , História das religiões (sua influência na formação da humanidade), o autor apresenta conceitos e dados de extrema importância para o estudioso das religiões orientais e ocidentais. Ele traz definições etimológica, filosófica, sociológica, antropológica, teológica e genérica de religião e nos leva a formar nosso próprio conceito das muitas opções que oferece em sua obra. È útil também as informações acadêmicas, dados sociais influenciados pelas religiões do mundo, fundação e características fundamentais das principais religiões do mundo. Toda esta riqueza será de grande valia para todo este trabalho que me proponho a fazer e irá muito favorecer na introdução e no primeiro capítulo deste trabalho.
Quanto ao que me proponho escrever sobre o sincretismo religioso nas igrejas tenho visto argumentos fortíssimos na grande obra do Pr. Estevam Fernandes de oliveira, Conversão ou Adesão (2004, Proclama Editora):

(...) Precisamos, no entanto, admitir que a igreja cresce também em função de muitos fatores históricos pelos quais atravessam o Brasil e o mundo. É neste cenário “pós-moderno” de desesperança, de vazio de sonhos, de pluralismos, de desumanização, hedonismo, individualismo e subjetivismos que nasce, acontece e desenvolve-se a Igreja Evangélica Brasileira.

O livro conversão ou adesão tem como reflexão o neopentecostalismo no Brasil, todavia faz a seguinte declaração em sua profunda pesquisa: “Na base da cultura religiosa brasileira está a combinação de elementos trazidos pelo catolicismo português, religiões dos escravos africanos e crenças indígenas, aqui já estabelecidos”. É exatamente esta linha de raciocínio que propõe todo este meu trabalho acadêmico.
O livro evangélicos em crise (decadência doutrinária na igreja brasileira) de Paulo Romeiro traz algumas declarações sobre a crise da fé evangélica que gostaria de expor nesta pesquisa, tais como: a dimensão da crise, depois de superCrentes, o culto à personalidade, milagres e seus abusos, o evangelho da maldição, batalha espiritual, dentre outros. Tais pontos abordados favorecerá um bom debate teológico neste trabalho que também é teológico.
Augustus Nicodemus Lopes em seu livro o que estão fazendo com a igreja, ele faz a seguinte afirmativa:
Os evangélicos no Brasil nunca conseguiram se despir totalmente da influência do catolicismo. Nisso reside, em parte, a raiz da atual crise que experimenta. (2008, p.25)

Este fato da crise ligada ao catolicismo também é reforçado no livro o mistério católico:

Um número significativo de evangélicos se converteu ao catolicismo nos dias recentes. Quando isso acontece, um interesse considerável surge entre os pensadores Cristãos. Kim Riddlebarger, em uma análise excelente desse movimento de evangélicos em Roma, sugere duas razões primárias: (...) deixar (deixou) o evangelicalismo porque se ele se sente (sentia) “incompleto”. (...) até que chegar (ele chegou) à conclusão de que a Igreja Católica era “a guardiã designada das Escrituras”. (Armstrong, 2002, p. 161)

            Para resumir esta parte do referencial bibliográfico quero simplificar as demais obras de forma mais sistemática e sucinta.
Quanto ao capítulo primeiro que irá descrever o processo da religiosidade brasileira e o capítulo segundo analisar quando e como o sincretismo religioso tomou parte nas igrejas evangélicas brasileiras, terei base em quatro obras: O MELHOR DA ESPIRITUALIDADE BRASILEIRA, organizado por Nelson Bomilcar; O CRISTIANISMO ATRAVÉS DOS SÉCULOS de Earle E. Cairns; HISTÓRIA DA EVANGÉLIZAÇÃO DO BRASIL de Elben M. Lenz César; Evangelização Protestante na América latina ( dois volumes) de Arturo Piedra; O CRISTIANISMO E AS RELIGIÕES de Jacques Dupuis.
Já para o terceiro capítulo que irá Identificar os rastros animistas, afrodecendentes e católicos nas igrejas evangélicas brasileiras, terei base nos livros: COSTUMES E CULTURA de Bárbara Burns; DIFERENTES CULTURAS de Lothar Käser; SEITAS MÁGICO-RELIGIÓSAS – VOLUME 4 – de Tácito da Gama Leite Filho; PORQUE DEUS CONDENA O ESPIRITISMO de Jefferson Magno Costa; e SOCIOLOGIA de Cristina Costa.
As outras referências que são relacionadas no final da pesquisa irão fortalecer minhas contra-argumentações e minhas propostas para as igrejas que aderirem ou não ao sincretismo desenfreado.


  1. METODOLOGIA
A metodologia desta pesquisa será hipotético-dedutivo, já que foram levantadas hipóteses quanto a um fenômeno religioso e são apresentadas deduções mediantes outras obras bibliográficas de autores que já estudarão tais assuntos.
Será usado o método explicativo em seu objetivo e no procedimento será documental, como também o método histórico-monográfico já que trará um fundo histórico da religiosidade brasileira junto com um lembrete da história do Cristianismo no mundo, na América e no Brasil.
Contudo, toda a análise será fundamentada no método bibliográfico.

  1. CRONOGRAMA


ATIVIDADES

JUN

JUL

AGO

SET / OUT

NOV

LEITURA


X

X




REDAÇÃO



X

X



REVISÃO DE CONTEÚDO




X


X


REVISÃO DE FORMA





X


ENTREGA






X


7.      REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFIAS


·         ARMSTRONG, John. O mistério católico. São Paulo: cultura cristã, 2002.
·         CAIRNS, Earle e. O cristianismo através dos séculos. São Paulo: vida nova, 1995.
·       KÄSER, Lothar. Diferentes culturas - uma introdução à etnologia. Londrina: descoberta, 2004.
·         LOPES, Augusto Nicodemus. O que estão fazendo com a igreja. São Paulo: mundo cristão, 2008.
·         PIEDRA, Arturo. Evangelização protestante na América latina. Vol. 1 e 2. São Leopoldo: Sinodal, 2006.
·         Oliveira, Estevam Fernandes. Conversão ou adesão. Proclama Editora. Rio de Janeiro: 2004.
·         Damião, Valdemir. História das Religiões. CPAD. Rio de Janeiro: 2003.
·         Lewis, C. S. Cristianismo Puro e Simples. Martins Fontes. São Paulo:2005.
·         Stott, John R. W. Cristianismo Equilibrado. CPAD.
·         Stott, John R. W. Ouça o Espírito, Ouça o Mundo. ABU. São Paulo: 2005.
·         Brown, Rebecca. Ele veio libertar os cativos. Dynamus Ed. Rio de Janeiro: 2000
·         Rodrigues, Ricardo Gondim. É proibido.  Mundo Cristão. São Paulo.
·         Stott, John R. W. Crer é também pensar. ABU
·         Stott, John R. W. A cruz de Cristo. Editora Vida. São Paulo: 2006.
·         Costa, Cristina. Sociologia. Moderna. São Paulo: 2009.
·         Dupuis, Jacques. O Cristianismo e as Religiões. Ed. Loyola. São Paulo: 2004.




Prof° Gildelanio da Silva - Mestrando em Teologiagildelanio@hotmail.com (83.8885.3936 / 9965.1398)
CASO QUEIRA COPIAR, FAVOR CITAR FONTE E AUTORIA. GRATO.

O www.projeto-mobilizacao.blogspot.com  AGRADECE SUA VISITA!
SIGA ESTE BLOG E INDIQUE A SEUS AMIGOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário