About

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Apostila de evangelismo



Aprenda Como Evangelizar


A família...Os colegas... Os vizinhos...

Pr: José Pontes Filho


Missão e Editora
JUVEP

A todos aqueles que amam a Deus 
e a obra de evangelização
 
Sumário

Introdução.........................................03

Capítulo 1

Quem é salvo, evangeliza................. 04
O ministério da reconciliação........... 04

Capítulo 2

O que evangelizar?---------------------------05
Evangelismo Moderno---------------------- 06
Evangelismo “Light”------------------------ 07
Frutos dessas formas de evangelização--- 07
O que é o evangelho de Cristo?------------ 08
O que é  evangelização?--------------------- 09
Por que devo evangelizar?------------------ 09

Capítulo 3

Como se tornar um crente Frutífero na evangelização------------------- 10
Evangelizando a família---------------------- 12
Vida Espiritual x Vida Secular-------------- 13
Como evangelizar colegas e vizinhos--------------------------------------15

Conclusão-----------------  16



Introdução

Evangelizar sempre foi tarefa apenas para alguns que se destacam dentro do corpo de Cristo e, assim, desenvolvem sozinhos o trabalho que é de todos. Além disso, o conteúdo da evangelização, que se realiza no Brasil, ainda é muito superficial, detendo-se muito na religiosidade das denominações, ataques às demais religiões e uma exploração dos efeitos do pecado na vida dos homens e não, na sua causa principal.
No entanto, nesses últimos anos, o Espírito Santo tem despertado um grande número de irmãos na igreja local para a obra de evangelização. Já existe uma sede muito grande de muitos serem úteis, produzirem e frutificarem para o Reino de Deus. Sendo assim, há uma enorme necessidade de se possuir mais conhecimento bíblico sobre evangelismo, como aprendermos várias estratégias, técnicas e dicas de como evangelizar dentro da nossa própria família, vizinhos, colegas etc. nas páginas, a seguir, você terá uma verdadeira aula sobre esse assunto tão relevante e urgente dentro da igreja evangélica Brasileira.  

Capítulo 1

QUEM É SALVO, EVANGELIZA

E tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação.
(II Co 5:18)

A maior bandeira do evangelho está em resgatar seres humanos, salvar suas almas da perdição eterna, conduzindo-os do reino das trevas para o reino da luz; e, principalmente, reatar, voltar, reconciliar o homem, com seu Criador; consertar o pacto quebrado; gerar uma nova comunhão; da vida espiritual.
Quando um ser humano ouve o evangelho e crê na sua mensagem, decidindo colocá-lo em sua fé e vida diária, acontece, no seu espírito, um renascimento, ou seja, o que estava morto,  recebe vida. Foi o que Jesus chamou de novo nascimento. A partir do ato da verdadeira conversão, o Espírito Santo passa a habitar dentro do convertido, santificando-o, regenerando-o e dando vida ao seu espírito, tendo de imediato, todos os seus pecados perdoados, através do sacrifício de Cristo, Cruz Calvário, A grande barreira entre a criatura e o Criador é derrubada, sendo-lhe concedido acesso a Deus, diretamente, por mediação do próprio Jesus. Esse ato dá ao ser humano o direito de tornar-se filho de Deus, como está escrito em João 1: 12-13: mas todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filho de Deus; os quais não nasceram do sangue, nem da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus.
Portanto, o novo nascimento é a própria atuação do Espírito de Deus dentro do ser humano, reconciliado consigo mesmo, por meio do seu Evangelho. É impossível qualquer ser humano ser salvo eternamente, se o mesmo não nascer de novo e receber o Espírito Santo, através da mensagem do evangelho.

O MINISTÉRIO DA RECONCILIAÇÃO


Automaticamente, após a conversão, a pessoa recebe,   de Deus, um ministério, um serviço a realizar, uma  tarefa a  cumprir. Esse trabalho, o Apóstolo Paulo chamou de ministério da reconciliação. Em  Efésios 4:11- 12, vemos a descrição dos ministérios eclesiásticos, como: pastores, evangelistas, mestres etc. Nem todos os crentes têm um ministério eclesiásticos, mas TODOS os crentes, nascidos de novo, salvos que possuem o Espírito Santo têm o ministério da reconciliação, ou seja, quem, de verdade, foi redimido e lavado pelo sangue de Cristo recebeu, do próprio Deus, o ministério de levar a outros o seu evangelho que gera no novo convertido, ardor por ver as outras pessoas salvas, o que é natural naqueles que vivem o evangelho. Quem é membro de igreja evangélica e não sente o mínimo desejo de evangelizar, proclamar a Palavra de Deus e conduzir outros à salvação, necessita urgentemente fazer uma avaliação da sua vida e responder a si mesmo algumas questões:

1.     Se o Espírito Santo habita em mim, por que não sinto o mínimo desejo de evangelizar?
2.     Será que já tive, de verdade, a experiência do novo nascimento?
3.     Que posições devo tomar, partir de hoje, para cumprir o meu ministério?
 Concluímos este assunto reafirmando que ser Pastor, Missionário, Mestre e Profeta é apenas para alguns que, divinamente, foram escolhidos e preparados por Deus para essa função dentro do corpo de Cristo, que é a igreja. Já evangelizar, conduzir outros a Cristo. Proclamar o evangelho é o ministério de todo o crente. O normal de uma ovelha é gerar outra ovelha, é se reproduzir. Ninguém, no Reino de Deus, é inútil ou não tem ministério a cumprir. Todos têm o ministério da reconciliação.

Capítulo 2

O QUE É EVANGELIZAR?

Observando a história da igreja, nos diversos países e nas várias culturas no passado e no presente, vemos que a forma de evangelização e o seu conteúdo estão ligados diretamente ao contexto cultural da nação. O conteúdo das igrejas evangélicas é bíblico, no entanto, a forma de transmissão da mensagem tem grande variação e, muitas vezes perde a sua autenticidade, a verdade maior.
Olhando, especificamente, para o Brasil, notamos que o evangélico brasileiro foi preparado para três tipos de evangelismo:

·        Primeiro: Evangelismo Anti-Catolicismo
Nossos crentes foram treinados e já passaram para outra geração, uma forma de evangelização contra o catolicismo, baseado, principalmente, no combate à idolatria e outros costumes católicos. A essência do evangelho é colocado em segundo plano e o ataque frontal e até violento às doutrinas pagãs católicas assume lugar prioritário dentro do nosso plano de evangelismo.

·        Segundo: Evangelismo Condenatório.
Acompanhando o ataque à idolatria católica, veio a mensagem de condenação, ou seja, é raro um não-crente, no Brasil, não ter ouvido, pelo menos, uma vez na sua vida que o mesmo já está no inferno. O chavão “sou salvo” causou muita revolta entre os brasileiros que não entendem o porquê de tanta presunção, se comemos “feijão com arroz” como eles. A questão não é dizer que está salvo, mas primeiro lugar, mostrar o por que afirmamos isso. Condenar, julgar, menosprezar, sentir-se espiritualmente superior, sempre foram ingredientes bem presentes na evangelização dos crentes brasileiros.

·        Terceiro: Ataques aos efeitos
Com os ataques ao Catolicismo e um evangelismo condenatório, vieram os confrontos aos efeitos do pecado na vida do homem. É comum ouvirmos nos programas de rádio e TV, nos púlpitos da igreja, nos mais variados cultos e na evangelização pessoal, frases como essas:

. Você tem um vazio no coração e só Deus pode preencher!
. Pare de sofrer!
. Se você tem um fardo nas costas venha a Jesus.
. Se está angustiado. É preso ao vício. Está sem esperança...Jesus o liberta e lhe dá paz.
. Só Jesus é a solução.

A principal mensagem do evangelho, que é voltada para o pecado do homem e sua separação de Deus, no geral, não é abordada e passa-se o tempo inteiro falando, apenas, dos efeitos do pecado na vida humana.


EVANGELISMO MODERMO

Podemos já, até, afirmar que os três pontos anteriores fazem parte da geração passada, mas, ainda, com uma forte e atuante presença na maioria dos crentes atuais. No entanto, já estoura, em tudo o que é lugar, um novo tipo de evangelismo, que chamamos de “moderno”; é uma espécie de pregação extremamente contrária ao que se costumou ver no passado. A forma tem “agredido”, até mesmo, os próprios evangélicos que se posicionam contra essa forma de trabalho. Estamos nos referindo ao evangelismo realizado nos festivais e nas grandes festas do Brasil, como São João, o carnaval, festas de padroeiras de uma cidade etc. Até, desfile de blocos evangélicos, dentro do carnaval, já se vê em Recife, Rio de Janeiro e João Pessoa. A questão maior não é a presença de crentes nesses eventos. Acreditamos que devemos estar em todos os lugares possíveis para transmitir a palavra de Deus. O grande problema é o conteúdo da mensagem apresentada, que muitas vezes, está longe do verdadeiro evangelho, tornando-se esses eventos, apenas movimentos de lazer e expressões carnais de crentes (com devidas exceções).

EVANGELISMO “LIGHT”

Outro fato é o evangelismo pregado por algumas entidades que surgiram nos últimos anos, em prol da evangelização de grupos específicos da sociedade. A estratégia e a forma de pregar é tão light que nos dá a impressão de que o Evangelho precisa desesperadamente da conversão dessas pessoas. A base desse trabalho é prometer aos ouvintes tudo o que eles precisam para seu conforto físico e espiritual.
E, por fim, outra forma de evangelização, no nosso tempo, é a quantidade exagerada de testemunhos de pessoas (geralmente famosas) que, depois de uma vida desgraçada, moral, física e espiritualmente, foram a um culto evangélico e tiveram suas vidas transformadas. Tornam-se “astros” evangélicos.

FRUTOS DESSAS FORMAS DE EVANGELIZAÇÃO

E, se as primícias são santas, também a massa o é;
se a raiz é santa, também os ramos os são.
(Rm. 11: 6)

Quando um agricultor quer, ter uma excelente colheita, o mesmo observa alguns valores inegociáveis como, a terra, adubos, irrigação e outros fatores, mas, de todos, plantar uma boa semente, será fator fundamental para o seu propósito.
No caso da evangelização, o evangelho puro, cristocêntrico  e bíblico, é  a excelente semente vinda do próprio Deus. Plantada na sua essência, sem misturas ou arranjos humanos, dará um fruto permanente, bíblico, sadio na fé, consciente da sua nova vida em Cristo, não levado por todo vento de doutrinas, que consegue entender as razões maiores do evangelho, é constante e perseverante, serve a Deus não por aquilo que Ele pode lhe dar ou fazer, mas, pelo que Ele é, e acima de tudo, frutificar para o Reino Celeste através de uma vida de testemunho constante no seu meio-ambiente.
Diante do exposto, também podemos notar que, apesar de o evangelho em si ser a semente excelente, a forma como se passa essa semente para as pessoas pode ser deturpada, camuflada e “florida”. Nos casos citados anteriormente, dos evangelismos “anti-catolicismo”, “condenatório”, atacando os efeitos do pecado, o moderno e o “light”, os frutos que brotam. São piores possíveis. Alem disso, algo bem visível nos crentes brasileiros, nas igrejas, nas liturgias, nas pregações e nos hinos, e um “evangelho” para o homem, totalmente baseado em “bênção”, curas, milagres, prosperidade material, “paz”, “vida abundante”, solução de problemas e o bem estar do ser humano.

ISTO TEM GERADO:

a)                Crentes totalmente consumistas. Quando uma igreja local não esta lhe dando o que precisam. Facilmente mudar de congregação como se troca de roupa, em busca de outro lugar que satisfaça as suas necessidades. Não conseguem ter uma identidade denominacional definida e não cria raízes em uma igreja local.
b)                Crentes estagnados. Não evangelizam, não crescem, não ajudam a igreja local, dependem constantemente de auxilio de outros. A bíblia e apenas um livro sagrado que usam aos domingos.
c)                 Crentes envolvidos quase que 100% em seus projetos pessoais como, cursos, empresas, profissão. O tempo do dia-a-dia e consumido só com projetos seculares. Á vida eterna nunca e o alvo principal da vida terrena.
d)                Crentes que nunca vão a igreja, contribuem com oferta e dizimo, não porque ama a obra de Deus, mais, pelo retorno certo que lhes prometeram.
e)                 Crentes legalistas que valorizam exageradamente o “não toque nisto”, “não use aquilo”, e outros valores mínimos, como corte de cabelos e etc. formaram-se escravos de um sistema legalista e sem a graça de Deus.
f)                  Crentes mundanos, sem a mínima noção de santidade.
g)                Crentes extremamente místicos e condicionados ao que sentem. 
São levados por toda sorte de erros doutrinários e, até, ensinamentos anti-biblicos. O que o guia asa suas vistas são experiências e não  o padrão bíblico.

Infelizmente uma enorme maioria dos quase 25 milhões dos evangélicos do Brasil possui as características mencionadas acima. Sem medo de errar, atribuímos esse fato. Como fruto do evangelismo que temos transmitido ao povo nesses últimos trinta anos.

É HORA DE MUDAR, REFORMAR, RECICLAR...

O QUE É O EVANGELHO DE CRISTO?

Acredita que Deus e extremamente sábio, perfeito e inteligente. Pelas suas eternas sabedorias e misericórdia, têm resgatado almas das trevas, utilizando-se das formas de evangelismo, até agora, mencionadas neste livreto. Entre tanto não temos receio algum em dizer que nosso conteúdo de evangelização precisa urgentemente de uma reforma profunda, tanto na abordagem, como na forma de execução, que seja na igreja, na escola, no trabalho, e em festas etc.
Em primeiro lugar, vejamos o que e o evangelho de Cristo:

1)    É o plano único de Deus concretizado através da vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo, pelo qual o ser humano e liberto da escravidão do pecado e da perdição eterna.
2)    É o poder de Deus para salvar o homem e liberta-lo de todas as mazelas espirituais e físicas.
3)    É Deus reconciliando o homem consigo mesmo, tornando-o o seu filho em um cidadão integro na terra e esperando a moradia eterna no céu.
4)    É tornar-se filho de Deus através do novo nascimento; e um mensageiro do evangelho, recebendo e cumprindo, de forma prioritária, o ministério da reconciliação.

O QUE E EVANGELIZAÇAO?

                            É a transmissão do evangelho de Cristo de forma clara, objetiva e direta, mostrando todo o plano de deus para o ser humano. Qualquer outro tipo de conteúdo que não mostre o pecado do homem e a sua separação do seu Criador, e apenas informações sobre o evangelho e, nunca, evangelização.
                            É ensinar o plano da salvação de forma sistemática e progressiva, mostrando todas as bênçãos e o preço a pagar quanto à conversão do evangelho.
                            É pregar o evangelho de Cristo e não os costumes da minha igreja, nem, tampouco, agredir, condenar, humilhar e julgar os ouvintes, embora tenha que ficar claro, para o ouvinte, que existirá uma perdição eterna para aqueles que não se converterem, na terra.
                            É evitar, de todas as formas, atacar ou provar que as outras religiões são falsas. A verdadeira evangelização, por si só, já prova isso.
                            É transmitir a palavra de Deus, tendo já, no viver diário, uma vida integra e santa. Isto ira selar a pregação falada. É também ser cheio de boas obras.
                            É ter convicção que nosso papel e a transmissão oral; o convencer e o converter pertencem ao Espírito Santo que faz  a obra como lhe apraz e na hora certa.

Não me envergonho do evangelho, pois é o poder
de Deus para salvação de todo aquele que crê.
(Romanos 1:16)

POR QUE DEVO EVANGELIZAR?

1º.Porque sou um salvo em Jesus Cristo, e o  Espírito Santo que, em mim, habita, me impulsiona, normalmente, a cumprir esse ministério que recebi do Senhor.

2º Porque amo a Deus e quero gerar frutos para o seu Reino, em obediência a sua Palavra se me amardes guardareis os meus mandamentos (João 14:15). É ainda: Nisto é glorificado o meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos (João 15:8).

3º Porque entendo que o Evangelho é o único e exclusivo meio pelo qual o homem pode se livrar da perdição eterna (inclusive a minha família) e passar toda a eternidade na presença de Deus.

4º Porque reconheço que minha alma estava perdida na escuridão eterna e, de graça, o Evangelho me alcançou e me transformou em uma nova criatura, assim sou devedor a Deus.

5º Porque, um dia, alguém se preocupou comigo e me ensinou a mensagem da salvação. Desta maneira, cai sobre mim, no mínimo, a obrigação de pregar para outros.

6º Porque entendo que todos os bens materiais que possuo na terra, um dia, passarão como o vento, mas os frutos que eu produzir para Deus, tornar-se-ão eternos.

Evangelizar é um dos maiores privilégios que um ser humano pode realizar na terra. O mesmo pode e deve varia de forma e estratégia, mas nunca a essência do seu conteúdo, pois o fruto de um evangelismo distorcido será doentio e cheio de anomalias; já o fruto brotado de evangelismo essencialmente bíblico e cristocêntrico irá gerar discípulos maduros, firmes e frutíferos, glorificando a Deus em tudo e já se tornando reprodutores de boas e novas ovelhas.


Capítulo 3

COMO SE TORNAR UM CRENTE FRUTÍFEIRO NA EVANGELIZAÇÃO?

Já está claro que todo verdadeiro salvo deve evangelizar. Mas essa verdade deve ser acompanhada por alguns fatores, por exemplo, a liderança precisa equipar os crentes para o desempenho de sua função (Efésios 4:11-12), dando-lhes instrução, preparo e material para o exercício do seu trabalho.
Sendo assim, propomos, neste capitulo, algumas digas simples, mas objetiva, visando equipar o leigo no cumprimento do seu ministério, no lugar que o mesmo foi plantado por Deus, para frutificar, como cidadão dos céus, a serviço na terra.
1º  Estude minuciosamente o plano de salvação abaixo, ponto por ponto, versículo por versículo, entendendo todo o plano de Deus, desde o Velho Testamento, até o Novo Testamento. Acrescente outros versículos aos já existentes e contextualize cada ponto, de acordo com o lugar e o momento que está explanando.

PLANO DE EVANGELISMO CRISTOCÊNTRICO

1º PASSO

a)                                         Criação do homem. Gn 1:27 ( A imagem de Deus)
I.                               A importância do homem na criação. Gn 2:1-17
II.                            Como Deus criou o homem. Gn 2:7

2º PASSO

a)                                         A ordem anterior. Gn 2: 15-17. (A queda do homem)
                                                 I.                 A tentação. Gn 3: 1-13
                                              II.                 As conseqüências:

·                   Separação de Deus. Gn 3:23-24; Is 59:1-2
·                   Sofrimento para si. Gn 3:15-19
·                   Perdição eterna. Gn 3: 24
·                   Não tem como salvar-se. Gn 3:24
·                   Todos que nasceram na terra estão perdidos. Rm 3:23


3º PASSO

a) Tentativas do homem para salvar-se.
                                                 I.                 Fazendo boas obras. Ef 2:9
                                              II.                 Guardando a Lei. Rm 3:20
                                           III.                 Seguindo religião. Tg 1:25-27
                                          IV.                 Reencarnação. Jo 14:1- 6
                                             V.                 Purgatório. Lc 16:19-31

Objetivo central da explanação do 3º ponto:

Jamais o homem poderá salva-se com esforço ou tentativa própria.

4º PASSO

a) Única forma de homem obter a Salvação.

                                                 I.      Cristo é o único caminho. Jo 14:6
                                              II.      Nascer de novo. Jo 3
                                           III.      Confessar os pecados. 1 Jo 1:9
                                          IV.      Crer só no sacrifício de Cristo. At 16:27-31; At 3:19-20
                                             V.      A iniciativa é de Deus. Tt 2:11; Jo 1: 29    

5º PASSO

a)     Bênçãos da conversão

I.                   Não mais será condenado. Rm.8:1
II.                Foi livre da maldição do pecado. 2 Co 5: 17 – 21
III.             Torna-se filho de Deus. Jo 1: 12 -13
IV.            Herdará o Céu como prêmio da sua fé em Cristo. Ap 21.

b)    Conseqüências da conversão

I. Renunciar ao mundo. Tt 2:12 – 14
II. Tomar sua cruz. Mt 10: 34 – 39 (Evangelho Real)
III. Amar só a Deus e praticar sua Palavra. Jo 14: 15, 21
V.               Torna-se um evangelista. Mc 16: 15
VI.            Um preço a pagar. Mt 7: 13 – 14
VII.         Evangelho que desafia as culturas e o mundo hoje. Mt 5

Agora, consciente do Plano de Salvação, dominando o conteúdo da verdadeira evangelização, necessitamos de estratégias e sabedoria para plantarmos a semente do evangelho com  convicção; e, com certeza, Deus fará brotar o fruto, de acordo com a forma que foi plantada no momento exato.

EVANGELIZANDO A FAMÍLIA

Consideramos o lar o lugar mais difícil de se evangelizar, pois ali, estamos diariamente expostos à intimidade familiar e, muitas vezes, o que fomos no passado, ainda é bem presente na mente dos entes queridos. Além disso, o comportamento e a postura que temos, ainda hoje, comprometem a nossa pregação.

DICAS:

A.   Não demonstre superioridade espiritual exacerbada, fazendo com que seus familiares se sintam miseráveis, perdidos e você, um “santarrão”, um “extraterrestre”.
B.   Diante de problemas, crises, conflitos, dentro da família, demonstrem equilíbrio, pacificação e firmeza. Nunca se descontrole, grite e tome partido só pelo sentimento.
C.   Faça com que sua família veja que depois da sua conversão, você se tornou mais humano, calmo, consciente, respeitador, obediente, sensível aos problemas, cuidadoso com as tarefas domesticas, ou seja, melhorou em tudo.
D.   Participe, normalmente, das comemorações festivas da família; viagens, almoços, casamentos, aniversários etc. Logicamente, mantendo o padrão cristão.
E.    Nunca diga palavras ásperas, chamando-os de “duro”, “coração de pedra”, “incrédulos”...
F.    Faça uma lista de todos os membros da família e coloque dentro da Bíblia, orando, constantemente, por eles e crendo que Deus irá convertê-los.
G.   Convide-os para os cultos especiais na igreja. Caso digam não, aceite normalmente e diga: Tudo bem! Deus os abençoe! Depois volte a convidá-los. Não desista!
H.   Em datas especiais, dê um livro, um Cd ou uma Bíblia de presente, sempre colocando uma dedicatória amável e evangelística.
I. Sempre que possível, faça um culto em casa, com estudos bíblicos e mensagens (não encomendadas), levando um grupo e irmãos alegres e educados.
ATENÇÃO: Não perca oportunidades de falar do Plano de Salvação em qualquer ocasião.
J.      Não fale mal da igreja, nem dos problemas que estão acontecendo entre os irmãos, na frente dos familiares.
K.   PARA A ESPOSAS – CASADAS – Faça com que o seu marido veja que você, depois da conversão, melhorou em tudo. Seja responsável com suas obrigações. Não confronte nem desobedeça as suas ordens. Atue com sabedoria.


Semelhantemente vós, mulheres, sede sujeitas aos vossos próprios maridos; para que também, se algum deles não obedecem à palavra, sejam ganhos sem palavras, pela vossa maneira de viver. (I Pedro 3: 1)

l. PARA ESPOSOS

O mesmo conselho do ponto anterior se aplica  aos maridos com esposas descrentes, numa escala um pouco menor no que diz respeito a autoridade. Nunca obrigue a esposa a acompanhá-lo a igreja. Continue com atividades sociais e lazer dentro de um padrão, agora, cristão. Faça com que ela mesma chegue à conclusão de que você melhorou muito, depois da conversão. Observe os pontos anteriores.

VIDA ESPIRITUAL X VIDA SECULAR

O plano de Deus para os seus servos é que o mesmo frutifique onde está plantado. É ser luz no meio das trevas. É fazer diferença em seu meio ambiente. É estabelecer o seu Reino em todos os lugares.
Não existe no evangelho, a diferença entre vida espiritual e vida secular. Essa separação fez, no passado, e faz, no presente, muitos males na vida do evangélico, que baseado nessa falsa verdade, passou a ter uma vida dupla. Na igreja tem uma postura, na escola, no emprego, na relação com seus empregados, age de outra forma, muitas vezes, indigna do Evangelho de Cristo. Portanto, para frutificarmos em todos os lugares, em primeiro lugar precisamos desmistificar esse conceito de vida espiritual e vida secular. Não existe, biblicamente, essa separação; o ensinamento bíblico que rege a vida das pessoas no culto, rege também a vida dos patrões, dos empregados, dos estudantes, e etc. em segundo lugar, se faz necessário entender que uma função, seja ela qual for é honrosa diante de Deus. Se você é um jogador de futebol, um empresário, ator, jornalista, empregada doméstica, estudante, médico, dentista, cientista, gari, balconista, pedreiro, professor, arquiteto ou qualquer outra profissão, saiba que sua função tem objetivo maior e eterno. A profissão é uma benção para nós humanos, mas jamais a mesma pode se tornar um fim em si mesma. Isto, infelizmente, está acontecendo entre muitos evangélicos, os quais passam a vida inteira crescendo e prosperando dentro de sua área profissional, mas não estão crescendo diante de Deus, gerando frutos para a eternidade.

Frutifique onde Deus plantou e verá a glória do Espírito Santo na sua profissão.

DICAS:

a.           Onde você está atuando hoje é o lugar que Deus colocou. Aproveite as oportunidades. Por mais difícil que seja o ambiente em que você vive, onde impera o pecado, a falta de temor a Deus, Ele irá usa-lo como “luz e sal”. Lembre-se: “Onde abunda o pecado, superabunda a graça”.
b.           Seja um evangélico madura, respeitador, equilibrado, ,mas não seja agressivo, julgador, esquisito, anti-social e radical. Saiba sorrir, brincar, ser alegre. Vista-se com santidade, mas com roupas que não chamem atenção dos outros, deixando a impressão de que você é de outro planeta. Tenha integridade em todas as tuas atitudes e relacionamentos.
c.            Seja honesto e íntegro, em todo o seu comportamento e cumpridor assíduo das suas obrigações, em todos os aspectos que o seu trabalho exige, que seja empregado, que seja patrão.
d.           OBSERVAÇÕES PARA OS PATRÕES
      Caso seja proprietário de alguma loja, supermercado, indústria, etc, faça, pelo menos, dois cultos no ano com todos os empregados. Convide o pastor e alguns músicos. Dê uma bíblia de presente a cada um. Esse culto será importante se for realizado próprio ambiente de trabalho.

± Cumpra todas as suas obrigações trabalhistas. Não roube, nem engane ninguém. Pague o salário justo.
± Trate o empregado com respeito e dignidade. O ser humano é a coroa da criação de Deus.
± Demonstre, no seu viver diário, liderança e domínio na sua empresa. Tome as decisões que devem ser tomadas.
± Sempre que possível, converse com seu empregado sobre o Plano da Salvação de Deus para a vida dele.
± Determine uma verba destinada a obra missionária ou um trabalho social.

Lembre-se:

A sua empresa deve se tornar um agência de salvação de almas perdidas.

COMO EVANGELIZAR COLEGAS E VIZINHOS

OS COLEGAS

±    Dê sempre, de presente, bíblias, livros e folhetos (Faça um alvo pessoal de uma distribuição durante um ano).
±    Seja um ser humano normal e saiba conversar sobre esporte, política e assuntos atuais.
±    Determine, com firmeza e autenticidade, a sua posição de evangélico, desde o começo. Não tenha vergonha, nem medo de ser taxado de “quadrado” etc...
±    Aproveite as oportunidades para mostrar o Plano da Salvação de Deus para o homem, de forma  rápida, e, às vezes, com curtas frases.
±    Quando possível, crie um pequeno grupo de estudo bíblico, nos intervalos e estude minuciosamente os passos do Plano de Salvação.
±    Convide, constantemente, os colegas para cultos na igreja. Faça uma lista de dois a cinco colegas e ore, permanentemente, por eles, colocando-os como seu alvo prioritário.
±    Tenha sempre disponível, na sua bolsa, no bolso, no porta-luvas do carro, bons folhetos com mensagens bíblicas sobre salvação. Aproveite as oportunidades e distribua entre os colegas, no posto de gasolina, nos ônibus, na fiscalização policial...Quem muito semeia, muito colhe.

OS VIZINHOS

± Resolva todos os problemas internos na família, sem gritaria ou escândalos.
± Sempre que estiver ao seu alcance, mantenha a paz com todos. Evite confronto e discussões sobre terreno, filhos, esgotos. Perca, algumas vezes, em prol do Reino de Deus.
± Esteja pronto a ajudar, fazer boas obras, aconselhar, contribuir com a boa manutenção da rua. Participe da vida cotidiana dos moradores. Não se isole dentro de casa.
± Não faça vigílias de oração até altas horas da noite. Não exagere colocando o som alto demais com hinos evangélicos.
± Não seja freqüente na casa alheia, nem deixe a sua intimidade exposta aos vizinhos dentro da sua casa. Mantenha sempre uma certa distância.
± Faça cultos e estudos bíblicos na sua casa e convide os vizinhos. Convide-os também para irem à igreja.
± Dê livros e bíblias de presentes com dedicatórias evangélicas.

Acima de todas as coisas que temos dito até agora, está a oração. O nosso trabalho está no plantar a boa semente do evangelho, regar e preparar o terreno, através de estratégias e formas sábias, mas o crescimento da semente só vem de Deus, através da atuação do seu Santo Espírito. Portanto, devemos evangelizar sempre movidos pela oração. É Deus quem irá tocar os corações. É Ele que fará a obra que nós não podemos fazer. Façamos a nossa parte no lugar em que estamos plantados e Deus será glorificado, através dos frutos que Ele mesmo salvará.


CONCLUSÃO

Esperamos, em Deus, que este livreto tenha dado uma contribuição relevante no que diz respeito a uma consciência bíblica sobre o autentico evangelismo, como também despertado a muitos, no cumprimento da sua missão na terra dos viventes durante nossa rápida peregrinação, como terráqueos, colocados por Deus em vários ambientes e profissões tendo, como objetivo maior o resgate de vidas das trevas para a luz.

Evangelizar é um ato de obediência e amor a Deus e a sua palavra.

Esperamos que esta verdade se torne viva e eficaz na vida diária de todos aqueles que confessam a Cristo como Senhor e Salvador.

Importa que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; vem a noite, quando ninguém pode trabalhar.
João 9:4

Que Deus nos faça frutíferos no seu Reino.

Amém.
 
FONTE: RESUMO DO LIVRO DO PR. E PROF. JOSÉ PONTES. (COM AUTORIZAÇÃO)




 O www.projeto-mobilizacao.blogspot.com  AGRADECE SUA VISITA!

SIGA ESTE BLOG E INDIQUE A SEUS AMIGOS




Nenhum comentário:

Postar um comentário