DEIXE SEU RECADO PARA O EDITOR

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

MINHA MENSAGEM DE NATAL DE VOCÊ




MINHA MENSAGEM DE NATAL DE VOCÊ
O Natal Brasileiro não é diferente ou melhor do que o natal comemorado no mundo atualmente. O presépio, A árvore, o Papai Noel, Os presentes e o clima fraternal que já está incutido na tradição tem iludidos uns e enriquecido outros oportunistas de plantão. Não é a toa que o Natal tem sido a festa tradicional que mais movimenta dinheiro no mundo. 

Todavia se tem debatido muito sobre: QUAL É O VERDADEIRO SENTIDO DO NATAL PARA OS CRISTÃOS? – Já que nós também “entramos na onda mercantilista” da festa - Dizer que estamos comemorando o nascimento de Jesus num dia em que ele não nasceu e onde outro (Papai Noel) é quem recebe a glória não parece nada cristão. Contudo alguns se conformam com o clima aparentemente belo que está no ar (o espírito do Natal) para ARRUMAR A CASA, FORRAR A MESA E ACENDER AS LUZES. Acredito que é oportuno metaforizar estas ações para resgatar alguns princípios bíblicos perdidos ao longo do ano, vejamos:
a)      ARRUME A CASA: Resgate o clima de paz e aconchego dentro do seu lar, pois alguns tem sido instrumento de desordem e vexame na família, mesmo confessando que é um cristão.
b)     FORRE A MESA: Pare para desfrutar da simplicidade do pão da comunhão e do vinho da alegria. É lamentável como alguns tem considerado fartura uma festa onde se ver muito desperdício material e não é visto o valores nobres no aconchego do lar.
c)      ACENDA AS LUZES: Compartilhe a luz do conhecimento do evangelho puro e simples junto com a luz de uma boa consciência para com Deus e os homens.
VAMOS resgatar a paz, a alegria, o aconchego, a comunhão, a boa consciência e o conhecimento sincero e verdadeiro das doutrinas cristãs. É claro que o Natal brasileiro não se resume em um feriado apenas. Este clima fraternal e familiar que permeia a época leva as pessoas a abrirem o coração para a reflexão.  Esta é uma oportunidade interessante  para evangelizar enquanto festeja, afinal, quem não gosta de uma festinha com amigos e irmãos?
Vale salientar que alguns se envolvem tanto no clima festivo que perdem Jesus de vista como Maria e José fizeram na festa de páscoa em Jerusalém (Lc. 2.41-46). É preciso conceber que o Filho sempre estará envolvido “nas coisas do pai” e não em nossas coisas – e é isto que nos faz perder Jesus de vista – é achar que nossos caminhos e nossos pensamentos são iguais aos dele. Puro engano! (Is. 55.8-9)
O meu alerta nesta reflexão natalina é a busca do equilíbrio entre a tradição e a profissão de fé que temos, para exemplificar com texto bíblico, vemos isto tão claro no Novo Testamento nas censuras de Jesus para com os tão religiosos da época, os fariseus.
Em Mateus 15. 1-9; os princípios elementares do reino de Deus são suplantados por uma tradição farisaica sobre as coisas feitas aos pais que anulam a responsabilidade de honrá-los e obedecê-los. Jesus fez uma afirmativa seríssima: INVALIDASTES OS MANDAMENTOS DE DEUS COM AS VOSSAS TRADIÇÕES. Esta não uma boa hora de clamar: O sangue de Cristo tem poder!
A palavra tradição vem do grego (paradosin) que traz um sentido de costumes transmitidos de geração em geração. De acordo com 2 Tessalonissenses 2.15, temos nossa tradição embasada nos princípios elementares do reino de Deus, expostos na sua palavra, e o que passa disso é anátema (Gl. 1.8; 1 Co. 15.1-8; 19, 33-34).
Como é narrado em Mateus 27, foi em nome de uma tradição que assassinaram o Rei Jesus. A religião pegou o martelo e a política segurou o prego e a tradição executou em voz alta: CRUCIFIQUE! Este foi o grito da multidão para a pergunta de Pilatos: O QUE FAREMOS DE JESUS CHAMADO O CRISTO? (Mt. 27.22).
Não se refere ao Jesus mitológicos dos gurus, nem ao Jesus históricos do europeus racionalistas, nem ao Jesus natalino bebê da tradição, mas se trata do Jesus da bíblia – O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO E DO LEÃO DA TRIBO DE JUDÁ QUE VENCEU! Aleluiaaa!
Alguns usam-no no pescoço, num quadro e até no bolso em forma de calendário, mas no coração não querem a Jesus carregar.
A BÍBLIA FALA DE CINCO COISAS QUE DEVEMOS FAZER COM O JESUS CHAMADO CRISTO:
1)      ACEITÁ-LO (Jo.1.12)
2)      AMÁ-LO (MT. 22.37)
3)      ADORÁ-LO (MT.4.10)
4)      AGRADECÊ-LO (1 TS. 5.18)
5)      ANUNCIÁ-LO (MC. 16.15)
Estes cinco passos (ou 5 “A”) aqui destacados são apenas uma forma simples de exemplificar a conversão em cristo. Aqui estão temas excelentes para discutir na noite de Natal. É importante que cada um se aprofunde mais no assunto nesta ordem para crescer na graça e no conhecimento das verdades cristãs. Lembrando que o cristianismo além de puro e simples ele é verdadeiro e profundo para os que têm experimentado a regeneração (o novo nascimento).
Finalmente, quero destacar que aceitar a cristo não é o primeiro passo. Este é o segundo passo, pois o primeiro foi Jesus quem deu. Aceitar Jesus é simplesmente reconhecer que foi aceito por Ele. Outras verdades: aceitar sem amar, adoração não haverá; e anunciar sem agradecer jamais será amar. É preciso entender o quanto estes fatos estão interligados quando ocorrem na vida de quem crer. Quem aceita de verdade, deve amar, adorar, agradecer e anunciar de verdade. Que Deus e sua sã doutrina renasçam nos corações dos cristãos brasileiros e isto seja prático e permanente em suas vidas.  Você já tem certeza que o messias que nasceu a 2 mil anos atrás neste mundo também já nasceu em teu coração? Busque isto, se não tua vida não passará de uma tradição vazia. Esta é minha mensagem de Natal.
Sole Deo Gloria!
Prof° Gildelanio da Silva - Mestrando em Teologia
gildelanio@hotmail.com (83.8885.3936 / 9965.1398)

CASO QUEIRA COPIAR, FAVOR CITAR FONTE A AUTORIA. GRATO.


3 comentários:

  1. Gostei bastante do artigo. Que Deus continue dando-lhe a sabedoria necessária para instruir o povo de Deus.

    ResponderExcluir
  2. Professor, é bom pensar assim, Jesus tem sido a moeda mais rentável dos últimos tempos, que Deus possa ter misericórdia dessa geração.

    ResponderExcluir