DEIXE SEU RECADO PARA O EDITOR

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Reflexão: quem é Deus?




CINCO ATRIBUTOS ASSENCIAIS DA DIVINDADE

(Espiritualidade, infinidade, imutabilidade, transcendência e eternidade)


O breve catecismo de Westminster— "O que Deus é?" — tem a seguinte resposta: "Deus é espírito, infinito, eterno e imutável em seu ser, sabedoria, poder, santidade, justiça, bondade e verdade",  uma declaração que Charles Hodge descrevia como "provavelmente a melhor definição de Deus que o homem já fez".


 1)      A ESPIRITUALIDADE DE DEUS

Definição - A substância divina é espiritual em sua essência. Ela é Imaterial, incorpórea, pessoal, viva e invisível.
Referência – “Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade” (Jo. 4.24) “Olhai as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede; porque um espírito não tem carne nem ossos, como percebeis que eu tenho”. (Lc. 24.39) “aquele que possui, ele só, a [imortal]idade, e habita em luz inacessível; a quem nenhum dos homens tem visto nem pode ver; ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém.” ( 1 Tm. 6.16)
Exemplo: Moisés pede para ver Deus visivelmente (Ex. 33) Mulher Samaritana acreditava que Deus se limitava a um monte ou templo (Jo. 4). Deus é espírito por isso não pode ser visto a olho nu e não está preso a um lugar.

2)      A INFINITUDE DE DEUS

Definição – Como infinito Deus não possui limites e nem fim. Assim também são seus atributos.
Referência – “A benignidade do Senhor jamais acaba, as suas misericórdias não têm fim” (Lm. 3.22) “ Porque o Senhor é bom; a sua benignidade dura para sempre, e a sua fidelidade de geração em geração.”. (Sl. 100.5) “Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus, seja honra e glória para todo o sempre. Amém.” ( 1 Tm. 1.17)
Exemplo: Talvez o melhor exemplo é a ressurreição de Cristo. Sendo Deus Ele não poderia ser vencido ou preso na morte. Ele possui a imortalidade. (Rm. 6.9; At. 3.15; At. 17.31; 1 Co.15.15-21)

3)       A IMUTABILIDADE DE DEUS

Definição – Como Deus imutável Ele não muda em seu ser, bem como nas perfeições, propósitos e promessas. Ele não diminui ou aumenta em nada, tão pouco se renova ou envelhece com o tempo.
Referência – “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há [mudança] nem sombra de variação” (Tg. 1.17) “Quem operou e fez isto, chamando as gerações desde o princípio? Eu, o Senhor, que sou o primeiro, e que com os últimos sou o mesmo”. (Is. 41.4) “Pois eu, o Senhor, [não mudo]; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos.” ( Ml. 3.6)
Exemplo: Acho que um bom exemplo da imutabilidade de Deus é o caso de Balaque e Balaão. Deus não mudou em seu propósito de abençoar e o profeta reconhece isso. (Ver Nm. 23. 19-23)

4)      A TRANSCENDÊNCIA DE DEUS

Definição – Deus não é limitado à nossa capacidade de compreendê-lo, nem ao tempo ou espaço. Sua santidade e bondade vão infinitamente além das nossas, como também seu conhecimento e poder. (Millard J. Erikson)
Referência – “O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens; nem tampouco é servido por mãos humanas, como se necessitasse de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, a respiração e todas as coisas;” (At. 17.24,25) “Mas, na verdade, habitaria Deus na terra? Eis que o céu, e até o céu dos céus, não te podem conter; quanto menos esta casa que edifiquei!”. (1 Rs. 8.27) “34 Pois, quem jamais conheceu a mente do Senhor? ou quem se fez seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado?” ( Rm. 11.34,35)
Exemplo: Vejo um bom exemplo da transcendência divina nos textos já citados. Em especial na declaração de Davi (1 Rs. 8.27) e na declaração de Paulo (At. 17.24,25). Só no fato de ele ser o criador de tudo já aponta para sua transcendência. (Gn. 1.1; Jo. 1.1-3)

5)      A ETERNIDADE DE DEUS
Definição A sua eternidade pode ser definida como a perfeição de Deus pela qual Ele é elevado. Acima de todos os limites temporais e de toda sucessão de momentos, e tem a totalidade da Sua existência num único presente indivisível. (BERKHOF)
Referência – “Antes que nascessem os montes, ou que tivesses formado a terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade tu és Deus.” (Sl. 90.2) “O teu trono está firme desde a antigüidade; desde a eternidade tu existes. (Sl. 93.2) “Tudo fez formoso em seu tempo; também pôs na mente do homem a idéia da eternidade, se bem que este não possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até o fim.” ( Ec.3.11)
Exemplo: “Onde estavas tu, quando eu lançava os fundamentos da terra? Faze-mo saber, se tens entendimento”. Este texto do diálogo com Jó é para mim um bom exemplo da eternidade divina. Também vemos isto ao longo da adoração do povo de Israel ao Deus de Abraão. (1 Cr. 16.36; Is. 57.15; Hab. 1.12; 3.6) 


Nenhum comentário:

Postar um comentário