DEIXE SEU RECADO PARA O EDITOR

sábado, 20 de abril de 2013

TABERNÁCULO DA FÉ


Doutrinas do Tabernáculo da Fé 

I - PRINCIPAIS DOUTRINAS DO TABERNÁCULO DA FÉ

1. SETE ERAS DA IGREJA?

Tabernáculo: "Como a primeira explosão de uma vela romana, as Eras da Igreja chegam com uma poderosa iluminação, inicial, sem a qual não poderia haver mais luz. Porém, uma vez que o brilho das Sete Eras da Igreja é dado por Revelação Divina, segue luz sobre luz, até que a revelação completa se abra amplamente ante nossos olhos maravilhados (As sete eras da igreja, introdução, p.1)."
"Agora, eu digo que este livro de Revelação é a revelação de Jesus e o que Ele está fazendo através das Sete Eras da Igreja. É uma revelação porque os próprios discípulos não conheciam estas verdades registradas. Não lhes havia sido previamente revelado (As sete eras da igreja”, introdução, v. 9, p.5)."
"Se nós voltássemos a viver a era de Lutero, nós olhamos aqui atrás nela - naquela era, nós vemos exatamente, na era de Sardes, que Lutero foi o mensageiro, exatamente, com o cavalo que saiu, com o restante disto foi naquela era. Nós encontramos na era de Wesley, a era de Filadélfia. Nós encontramos aquela grande era de reavivamento que prosseguiu, amor fraternal, nós encontramos Wesley exatamente no lugar onde a Bíblia disse que ele estava. (O Cristo identificado de todas as eras, v. 136 e 137)."


Defesa do Evangelho: Para os adeptos do Tabernáculo da Fé, a dispensação de Laodicéia tem exatamente as características descritas na carta àquela igreja, registrada no Apocalipse (3.14-22). A condição atual da Igreja é a mais deplorável de todas, cheia de vergonha e confusão, culminando com uma apostasia. O próprio Senhor Jesus Cristo está sendo expulso de sua Igreja. A minoria dos que fazem parte da Igreja é verdadeiramente o corpo de Crista. A Igreja possui muitas propriedades, é rica; seus pastores têm fundos de aposentadoria, sustentados por milhões; a Igreja é pobre espiritualmente: é miserável, cega, nua e sem conhecimento. O movimento ecumênico é uma prova de que Cristo está se afastando da Igreja. Os líderes da Igreja têm repudiado a Palavra de Deus e estabelecido seus próprios dogmas e credos.
Sabemos, entretanto, que:
1) As sete igrejas do Apocalipse eram igrejas existentes na Ásia, no tempo da perseguição do Império Romano, e João escreveu a elas, confortando-as. Nada têm a ver com as dispensações da igreja;
2) Os adeptos do Tabernáculo da Fé não conhecem as igrejas que seguem o Novo Testamento, em suas pregações e ordenanças de Jesus Cristo; admitem uma corrupção geral da igreja, baseando-se, talvez, na Igreja Católica e no Espiritismo;
3) O tempo presente pode ser comparado aos tempos de Noé e de Ló, por sua corrupção, por seu desinteresse espiritual pelo materialismo, pela prática ilícita do sexo (Mt 24.37). Isso não quer dizer, entretanto, que há necessidade de um profeta-mensageiro, uma vez que todos os crentes estão imbuídos dessa tarefa: pregar o evangelho até aos confia da terra, até que Cristo venha (Mt 28.18-20; Mc 16.15, At 1.8-11);
4) O povo de Deus é o sacerdócio real, a nação santa, para proclamar as verdades eternas (1 Pe 2.7-10).

2. BRANHAM É O PROFETA DA ÚLTIMA ERA?

Tabernáculo: "O ministério sobrenatural de William Branham cumpriu a profecia de Malaquias 4.5-6. E sua mensagem é a revelação que faz menifesto os segredos de Deus. Ele, sem sombra de dúvida, foi o profeta enviado de Deus para esta era e pregou a mensagem que Deus lhe ordenou  para trazer os predestinados de volta à Palavra original (Disponível em: http://www.apalavraoriginal.org.br/wbranham.php. Acesso em: 8.mar.2008)."
"Temos prometido aquilo! Deus o prometeu em Sua Palavra! Malaquias 4: Ele disse que passaria isso, "E restauraria a fé dos filhos aos pais". Ele o prometeu e estamos vivendo nesse dia! (O mensageiro do entardecer, v. 189)."
"Traga a igreja de volta à Palavra. Agora, o que é que este Mensageiro de Malaquias 4 tem para fazer? Restaurar a fé original, a fé da ressurreição (O mensageiro do entardecer, v. 251)."
"Mas, e a verdadeira semente? Acontecerá justamente como estivemos dizendo. O povo de Deus está se aprontando pela Palavra da Verdade que vem pelo mensageiro desta Era. Nele estará a plenitude do Pentecostes porque o Espírito trará de novo o povo justamente de volta para o ponto em que estava no princípio. Isto é: "Assim Diz o Senhor". É o "Assim Diz o Senhor" porque isso é o que Joel 2.23-26 diz."
"Ora, é dito que Deus irá "restaurar". A Era luterana não restaurou a igreja, mas iniciou uma reforma. A Era Wesleyana não restaurou. A Era Pentecostal não restaurou. Mas Deus tem que restaurar porque não pode negar Sua Palavra. Isto não é a ressurreição da igreja, é a "Restauração ". Deus levará a igreja de novo ao Pentecostes como no princípio. (Um resumo das sete eras, versículos 48 e 49, p.14)".
“Mas nos dias da voz do sétimo anjo, quando tocar a sua trombeta, se cumprirá o segredo de Deus, como anunciou aos profetas, seus servos (Ap 10.7)"
(Mensagens disponíveis em: http://www.apalavraoriginal.org.br/wbranham.php. Acesso em: 8.mar.2008).

Defesa do Evangelho: Para os adeptos do Tabernáculo da Fé, O mesmo Espírito que escreveu a Bíblia está agora num homem para revelar o conteúdo e a verdadeira interpretação dela”.
Branham enalteceu-se a si próprio, e os seus adeptos o têm considerado até mesmo igual a Jesus Cristo: “Deus tem enviado o irmão Branham no século XX e tem feito a mesma coisa. Deus em carne, novamente passando por nossos caminhos, e muitos não o conheceram. Eles tampouco o haveriam conhecido se tivessem vivido no tempo em que Deus cruzou seus caminhos no corpo chamado Jesus, o Cristo”
A Bíblia nos afirma, através do próprio apóstolo Paulo:
1) Seja anátema, amaldiçoado, aquele que pregar outro evangelho - Gálatas 1.8-12. Outra passagem que menciona a expressão é 1Coríntios 12.3, em que Paulo lembra que pessoa alguma fala, pelo Espírito de Deus, que Jesus é anátema, e somente pelo Espírito Santo alguém pode dizer: Jesus é Senhor.
2) Jesus alertou os seus sobre aqueles que viriam dizendo serem o Cristo, enganando a muitos - Mateus 24.4,5,11,23,24,25.
3) O ministério dos profetas encerrou-se com a vinda do Filho de Deus - Hebreus 1.1-14.
4) Crista é superior a Moisés, a Melquisedeque, aos sacerdotes do antigo pacto, aos próprios anjos - Hebreus, capítulos 2 a 10.
5) O dever do crente é olhar para Jesus, e não para algum profeta ou mensageiro - Hebreus 12.1,2;1 Coríntios 11.1.
6) A maior parte da base bíblica de Branham e de seus seguidores, nesta doutrina do Mensageiro, está no livro do Apocalipse, livro escrito para o contexto do primeiro século, cheio de simbolismos, no qual não devemos basear doutrinas.

3. BRANHAM É DEUS ENCARNADO?

Tabernáculo: "Esta geração está incumbida: uma geração na qual Deus tem caminhado em carne humana na forma de um Profeta. Deus tem visitado seu povo. Porque um grande Profeta tem-se levantado entre nós."
"Deus tem enviado o irmão Branham no século 20 e tem feito a mesma coisa. Deus em carne, novamente passando por nossos caminhos, e muitos não o conheceram. Eles tampouco o teriam conhecido se tivessem vivido no tempo em que Deus cruzou seus caminhos no corpo chamado Jesus, o Cristo (T.L. Osborn, no folheto intitulado Um Homem Chamado William Branham)."
"A Palavra tem se tornado carne, exatamente como Ele prometeu em Lucas 17, e Malaquias 4, e todos. Vêem? Isto é certo. Apocalipse... (A obra prima, parágrafo 170)."
"Três é perfeição. O ministério chegou à sua perfeição quando reproduziu a Cristo novamente no natural, entre seres humanos, como foi predito: "Como foi nos dias de Ló (Almas em prisão agora, parágrafo 348)"

Defesa do Evangelho: Essas declarações comprovam a pregação de um outro evangelho.  A Bíblia nos afirma, através do apóstolo Paulo: "Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema (Gl 1.8)."
O apóstolo Paulo sábio que viria muitos anjos pregando falsas doutrinas, fazendo grandes sinais e maravilhas enganando a muitos. Jesus alertou os seus apóstolos sobre o engano dos últimos dias: “E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane; porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos. (..) E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos(Mt 24.4,5,11)."
 

4. BATISMO NO NOME DE JESUS?

Tabernáculo: Pai, Filho e Espírito Santo, são somente títulos. Não são nomes. Por isso é que batizamos no Nome do Senhor Jesus Cristo, porque esse é um Nome, não um título. É o nome desses títulos, tal como quando você toma um menino recém-nascido e lhe dá um nome. Menino é o que ele é, filho é um título, então você lhe põe o nome, João Henry Brown. Não se batize somente no "Nome de Jesus". Há milhares de Jesuses no mundo, e também os houve antes de Jesus, nosso Salvador, porém somente há um nascido o Cristo: "O Senhor Jesus Cristo". (A Revelação de Jesus Cristo”, versículo 37, p.11).
"Deus tem muitos títulos: "Nossa Justiça", "Nossa Paz", "Ser Eterno", "Pai", "Filho", e "Espírito Santo", porém tem somente um Nome humano, e esse Nome é Jesus. (A Revelação de Jesus Cristo”, versículo 40, p.12).
“Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado no nome de Jesus Cristo para a remissão dos pecados e recebereis o dom do Espírito Santo " "Então os que aceitaram a Palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas " (Atos 1.15;2.1-8,38,41).
Porventura pode alguém recusar água para que não sejam batizados estes que, assim como nós, receberam o Espírito Santo? E ordenou-lhes que fossem batizados em Nome do Senhor (Atos 10.47).
". . .e achando ali alguns discípulos, disse-lhes: Recebestes vós já o Espírito Santo quando crestes? E eles disseram-lhe: Nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo." Perguntou-lhes então: Em que sois batizados então? E eles disseram: No batismo de João. Mas Paulo disse: Certamente João batizou com o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse no que após ele havia de vir, isto é, em Jesus Cristo. E os que ouviram foram batizados em nome do Senhor Jesus. E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam em línguas e profetizavam (Atos 19.1-6).

Defesa do Evangelho: Vamos observar outro texto: Colossenses 3.17. Este versículo afirma: "E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus." Isto significa que temos que fazer tudo pela autoridade de Jesus,obedecendo a seus mandamentos. Não significa que temos que recitar as palavras "Senhor Jesus" quando fazemos ou dizemos alguma coisa. A frase, "em nome de", não indica uma fórmula para se recitar, mas indica uma autoridade à qual temos que nos submeter.
Nenhuma passagem bíblica dá um conjunto de palavras para serem pronunciadas sobre a pessoa que recebe o batismo. Os textos acima dizem o que era feito, não o que era dito, quando uma pessoa era batizada. O batismo deveria ser pela autoridade (de acordo com os ensinamentos) do Pai, do Filho e do Espírito Santo. E desde que nunca há uma discordância entre os três, o que quer que façamos em obediência ao Pai, ou ao Espírito, na mesma ação obedecemos à vontade de Jesus.
É aceitável dizer que se está sendo batizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Pode dizer que se é batizado em nome de Jesus. Mas a verdade é que não há nada que tenha que ser dito quando se é batizado. As palavras que são faladas não afetam a validade do batismo. Mas precisamos cuidadosamente obedecer aos ensinamentos do Pai, do Filho e do Espírito Santo, sempre que se é batizado, e de fato, em tudo o que dizemos e fazemos.

5. NÃO HÁ TRINDADE?

Tabernáculo: "Foi uma doutrina fundamental no Concílio de Nicéia no ano 325 A.D. Esta trindade (uma palavra absolutamente inescriturística) foi baseada sobre os muitos deuses de Roma. Os romanos tinham muitos deuses aos quais oravam. Também oravam a seus antepassados por considerá-los como mediadores. Foi somente um passo para dar nomes novos a deuses antigos, e agora temos santos para torná-lo mais bíblico. Assim sendo, em vez de Júpiter, Vênus, Marte, etc., temos a Paulo, Pedro, Fátima, Cristóvão, etc., etc. Eles não podiam fazer com que sua religião pagã funcionasse com um só Deus, portanto o dividiram em três, e fizeram intercessores dos santos, tal como o haviam feito de seus antepassados (A Revelação de Jesus Cristo”, versículo 29, p.10)."
"Se Jesus é Senhor e Cristo, então Ele (Jesus) é e não pode ser outra coisa menos que, "Pai, Filho e Espírito Santo" em uma Pessoa manifesta em carne. Não é "Deus em três pessoas, bendita trindade", mas um Deus, uma pessoa com três títulos maiores, com três ofícios manifestando aqueles títulos. Escutem-no uma vez mais. Este mesmo Jesus é "Senhor e Cristo ". Senhor (Pai) e Cristo (Espírito Santo) são Jesus, porque Ele (Jesus) é ambos (Senhor e Cristo) - (A Revelação de Jesus Cristo”, versículo 63, p.20)."
"O Espírito de Deus, em João, se expressa assim para mostrar a Suprema Deidade de Jesus Cristo, e para revelar a deidade como um Deus. Hoje em dia há um tremendo erro, o qual ensina que há três deuses em vez de um. Esta revelação como foi dada a João por Jesus mesmo, corrige esse erro. Não é que há três deuses, mas um Deus com três ofícios. Há um Deus com três títulos: Pai, Filho e Espírito Santo. Esta poderosa revelação é a que teve a igreja primitiva, e tem que ser restaurada neste último dia juntamente com a fórmula correta para o batismo em águas (As sete eras, versículo 22, p.8)."

Defesa do Evangelho: A Bíblia, em diversas passagens, deixa clara a verdade sobre a Trindade, embora o termo não apareça nas Escrituras: a Trindade é encontrada na Bíblia desde a primeira página, Gênesis 1.1-3,26, até a última, Apocalipse 22.3 e 17. Os cristãos verdadeiros não crêem que haja três deuses em um. Crêem, isto sim, que existem três Pessoas, todas da mesma substância, iguais, coexistentes e coeternas. A doutrina da Trindade está implícita no A.T.. Considerando que a palavra “Elohim” (Deus) está no plural, a Trindade está implícita nesse nome. Leiamos:
E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança” (Gn 1.26).
“Eia, desçamos, e confundamos ali a sua linguagem, para que não entenda um a língua do outro” (Gn 11.7).
“Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem irá por nós?” (Is 6.8).
“Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mt 28.19).
“A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós” (2Co 13.13).
“...e um só Espírito...um só Senhor...um só Deus e Pai...” (Ef 4.4-6).
“Porque três são os que testificam no céu: O Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um” (1Jo 5.7)


6. SEMENTE DA SERPENTE?

Tabernáculo: "Agora o diabo desceu e entrou na serpente e ele encontrou a Eva no Jardim do Eden nua. E isto fala a respeito do fruto no “meio” e “meio” significa centro e assim por diante. Vocês compreendem em uma congregação mista. E ele disse agradável bom aos olhos.” O que ele fez? Ele começou a fazer amor com Eva. Ele viveu com ela como um marido. E ela viu que isto era agradável então ela foi e falou com o seu marido mas ela já estava grávida de Satanás. E ela trouxe o seu primeiro filho o qual o seu nome era Caim o filho de Satanás (A semente da serpente, v.129 e 130, p.23)."
"A semente da serpente produziu Caim. Caim foi para a terra de Nade e produziu gigantes, e então quando eles chegaram na terra de Node (A semente da serpente, v.155, p.26)."
"Certamente, mas você viu onde a semente da serpente está? O que era a semente da serpente? Adultério! Você compreende isto? Adultério com Eva (A semente da serpente, v.173, p.29)."

Defesa do Evangelho: Essa doutrina teve seu início nas lendas mitológicas dos séculos passados e foi ligeiramente adaptada por William Branham. Para ele, comer da árvore do conhecimento significa ter relações sexuais; o pecado de Eva foi o de manter tal relacionamento com a semente. Caim era filho da serpente, de Satanás. Pane da humanidade é descendência de Satanás. Essa doutrina não é encontrada na Bíblia e está exposta no livro Uma exposição das sete eras da Igreja. Branham cita passagens bíblicas para provar sua doutrina, mas as interpreta erradamente.
A Bíblia nos mostra claramente que:
1) A vida eterna está no Pai, e não numa árvore - João 5.26.
2) A vida está no cumprimento dos mandamentos de Deus - Mateus 19.17.
3) O cumprimento da lei não é eficaz para a vida eterna por causa da fraqueza da carne - Romanos 7.10.
4) Enganar não significa seduzir, como disse Branham, ao referir-se à tentação de Satanás no jardim do Éden.
Em 2Coríntios 11.3, a palavra traduzida por enganar significa enganar grandemente. Em 1Tímóteo 2.14, está escrito que Eva foi enganada, mas Adão também foi expulso do jardim, porque também pecou.
5) O sentido de 1João 3.12, usado por Branham, para dizer que Caim foi gerado pelo Maligno, é bem diferente: Caim foi arrebatado pelo Maligno. 1 João 3:8 diz que quem comete pecado é do Diabo”; isto não significa nascido do Diabo, pois então todos os homens seriam nascidos do Diabo, uma vez que todos pecaram (Rm 3.23; 1Jo 1.8).
6) Em Gênesis 4.1,2, está escrito que Adão coabitou com Eva e ela deu à luz Caim... Onde está a serpente?
7) Gênesis 3.22,23 diz que Deus expulsou o homem do jardim para que não comesse do fruto da árvore da vida (vivesse eternamente. A doutrina da descendência da serpente diz que o homem não podia alcançar tal fruto, mas Deus falou sobre a possibilidade.
8) Se Caim fosse uma serpente, então não geraria filhos como a Bíblia afirma que gerou. Um exemplo muito suave é este: o burro (produto do cruzamento de um asno com uma égua ou de uma jumenta com um cavalo) em geral não se reproduz. Deus amaldiçoou a serpente para que rastejasse sobre a terra; se Caim fosse filho da serpente, a maldição cairia sobre ele e estaria rastejando, e não se casaria nem geraria filhos.
9) Atos 17.26 afirma que Deus fez toda a raça humana para habitar sobre a face da terra, de um só. Branham afirma que veio de dois.
10) Jesus afirmou que sua geração era descendência de Abraão, mas, pelas atitudes, parecia que era do Diabo (Jo 8.37-44). Referia-se, na segunda afirmativa, à condição espiritual daquele povo (Ef 2.1,2; Cl 3.6,7).


7. REVELAÇÕES ALÉM DA BÍBLIA?

Tabernáculo: “Como João Batista foi o precursor da primeira vinda de Cristo, assim sua mensagem é o precursor da segunda vinda de Cristo".
WMB pregou que Jesus voltaria em 1977. Como ele pode pregar esta data, se não há data marcada para a vinda do Senhor, na Bíblia? 

Defesa do Evangelho: A seita tem vários métodos para levar pessoas a aceitarem estas revelações além da Bíblia. Um método é dizer que a base da revelação é a Bíblia. Quando Braham ouviu a voz sobre sua missão ele tentou ligá-la como a de um profeta que se encontra na Bíblia, no caso, João Batista.
Outro exemplo: ao afirmar que a Igreja está na sétima dispensação, e que ele é o profeta da sétima, baseou-se supostamente em Ap 3.14-22 (carta á Laodicéia). Mas nesse trecho não existe a palavra "dispensação", nem há datas ou indicação de que haveria um profeta para "alertar" a Igreja, pois o profeta é a própria Bíblia, no caso, a revelação do Senhor Jesus aos crentes daquela igreja! Novamente, interpretação forçada, fora do contexto, de WMB.
Um outro método é a operação de "milagres". Do livro O profeta do século vinte, página 34, ensina-se: "Durante dois dias depois de seu nascimento sua mãe de quinze anos de idade, seu pai de dezoito anos de idade, e as visitas viram suspensa sobre seu berço (de Branhman), uma tênue luz branca que tinha penetrado através da janela, e permanecido sobre sua cabeça desde o nascimento".
Segundo Branham um anjo lhe disse: "...tu foste enviado por Deus para usar o Dom de Curar o povo deste mundo. Se tu fores sincero e conseguires que o povo creia em ti, nada resistirá a tua oração, nem mesmo o câncer" ("O Profeta do Século Vinte, página 40). Quem cura é o Senhor Jesus, não nós! Confira em At 3.6, 9.34, Tg 5.15.
WMB escreveu: "Ora, como tem sido salientado em Malaquias 4.6, somente a primeira parte do verso refere-se a João Batista sobre quem o ministério de Elias tinha descido. A última parte obviamente pertence a outro mensageiro com o mesmo ministério, o qual em algum tempo converterá os corações dos filhos aos pais. Não serão as mesmas pessoas. Serão homens diferentes em épocas separadas." E ele proclamou que ele mesmo é este mensageiro! Verifique a séria advertência em Gálatas 1.8-9. 

8. DATAS PARA A VOLTA DE JESUS?

Tabernáculo: “A era de Laodicéia começou por volta da entrada do século vinte, talvez durante o ano de 1906. Quanto tempo durará? Como um servo de Deus que tem tido multidões de visões, das quais não tem havido nenhuma que haja falhado, deixe-me predizer (não disse profetizar, mas predizer) que esta era terminará por volta de 1977 (A era de Laodicéia, parágrafo 8).
"Baseado nestas sete visões, junto com rápidas mudanças que têm varrido o mundo nestes últimos cinquenta anos, eu predigo (eu não profetizo) que estas visões já se terão cumprido por volta de 1977. E posto que muitos possam sentir que esta seja uma declaração irresponsável, em vista do fato que Jesus disse que “ninguém conhece o dia e nem a hora,” eu ainda mantenho esta predição depois de trinta anos porque Jesus não disse que nenhum homem poderia conhecer o ano, mês ou semana em que sua vinda é para ser completada. Pelo que repito, eu sinceramente creio e sustento como um estudante privado da Palavra, junto com a inspiração divina que 1977 deve terminar os sistemas do mundo e introduzir o milênio  (A era de Laodicéia, parágrafo 15)."
(Disponível em: http://www.apalavraoriginal.org.br/wbranham.php. Acesso em: 10.mar.2008).
Defesa do Evangelho: Uma das doutrinas importantes na Bíblia é a segunda vinda do Senhor Jesus. Este é o dia que os crentes hão de receber o cumprimento de todas as promessas de Deus, incluindo a ressurreição do corpo. Segundo as Escrituras, ninguém sabe quando Jesus voltará: "Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor (Mt 24.42)."

Saber pensar, saber crer!

II - REFERÊNCIAS

(1) BRANHAM, William. A palavra original. Disponível emhttp://www.apalavraoriginal.org.br/wbranham.php. Acesso em 8.mar.2008.
(2) Nova Enciclopédia BARSA; Encyclopædia Britannica do Brasil Publicações Ltda; Rio de Janeiro — São Paulo; 1999; vol. 4.
(3) Almanaque Abril 2001; Ed. Abril; 27ª edição; São Paulo, SP.
(4) Bíblia de Estudo Pentecostal; CPAD; 7ª impressão;1998.
(5) Bíblia de Estudo Almeida; Sociedade Bíblica do Brasil; Barueri, SP; 1999.
(6) Bíblia Apologética de Estudo; ICP Editora; São Paulo, SP; 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário