DEIXE SEU RECADO PARA O EDITOR

sábado, 20 de abril de 2013

BIOGRAFIA DE William Marrion Branham



William Marrion Branham - Tabernáculo da Fé


Pouco material escrito existe sobre essa seita e sobre o seu fundador, Willíam Marrion Branham, que não deve ser confundido com o instituidor do Bramanismo. Se existe pouco material escrito, não existem poucas igrejas que foram atingidas pelo impacto da seita, dividindo-se e perdendo diversos de seus membros. O nome Tabernáculo da Fé se originou do fato de Branham pregar em tendas e ali operar muitos milagres de cura. 

HISTÓRIA 

William Marrion Branham nasceu em Berksville, Kentucky, E.U.A., a 6 de abril de 1909. no seio de uma família pobre, que morava numa cabana de pau-a-pique. Desde criança, Branham, segundo ele, tinha visões sobre algum evento futuro, que se multiplicaria durante toda sua vida. Como seu lar não era cristão, não compreendia o sentido das visões, dizem seus adeptos.

Quando estava quase com 18 anos, foi trabalhar num rancho, e soube da morte de seu irmão. Com esse sofrimento, e preocupado com o sentido de suas visões, ficou nervoso e deprimido. Sofreu nessa época de apendicite e teve que ser operado. Durante a operação, sentindo que ia morrer, pela fraqueza do coração, teve uma visão e fez uma promessa a Deus: servi-lo durante a vida toda, se fosse salvo. Teve uma experiência com uma luz, numa cabana, quando ali orava - considerou-se convertido. Ainda jovem, uniu-se a um grupo de missionários batistas, sendo logo ordenado pastor. Quando pregava, sua tenda se enchia com até três mil pessoas, e muitos se convertiam. Além de pregar sobre as suas visões, pregava também sobre as sete dispensações da Igreja, que atravessava a última dispensação, da qual ele próprio era o profeta, o precursor da volta de Cristo, como João Batista o foi da primeira vinda. 

Viveu sua vida toda como pastor, ou simples obreiro. Além de sua responsabilidade de pregar, tinha suas ocupações seculares. Certa vez, enquanto cumpria uma missão como fiscal de caça do governo estadual de Indiana, precisamente no dia 7 de maio de 1946, teve uma experiência com um forte vento perto de uma árvore. Resolveu, então, deixar o convívio familiar com a esposa e o filhinho, por algum tempo, para descobrir o mistério que envolvia sua pessoa, através da leitura da Bíblia e da oração. Recebeu, então, a mensagem de um anjo, de que seria um enviado de Deus com o dom de curar, com a evidência através de dois sinais: conhecer a enfermidade física e a enfermidade espiritual. 

A partir dessa convicção, fez diversas campanhas evangelisticas e de curas, nos Estados Unidos e em diversas partes do mundo. O livrete O profeta do século vinte, publicado pela seita, conta a história de muitas visões que teve Branham e de muitas curas que realizou. 

Branham morreu em 1965, mas a seita continua dando ênfase à pessoa do fundador e à sua profecia sobre a segunda vinda de Jesus Crísto, que deveria acontecer em 1977, segundo Branham. 

Os seguidores de Wílliam Branham lhe atribuem um ministério profético com o dom do discernímento. Para eles, Deus sempre fala ao povo através de profetas: Enoque, Noé, Moisés, Elias, Isaías, Jeremias, Amós, Daniel, João Batista, William Branham. O último profeta enviado por Deus é Branham. Embora não fosse recebido pela maioria do mundo religioso, a "semente predestinada" o recebeu e vive de acordo com sua mensagem. Baseados em Apocalipse 10:7, afirmam que essa profecia se cumpriu na vida de Branham e em seu ministério. 

Para os adeptos do Tabernáculo da Fé, os acontecimentos sobrenaturais no ministério do "irmão" Branham confirmaram que ele foi ordenado mensageiro da sétima era da Igreja, presenciou a abertura dos sete selos e transmitiu a mensagem ao povo de Deus. 

O irmão Branham dizia, repetidas vezes, que nos dois dias consecutivos ao dia do seu nascimento uma luz sobrenatural apareceu no seu quarto, às cinco horas da manhã, vista por sua mãe de 15 anos, seu pai de 18 anos e alguns visitantes. A primeira experiência sobrenatural se deu quando tinha apenas três anos de idade, época em que uma voz lhe disse que passaria a maior pane de sua vida peno de Nova Albânia. Com sete anos, ouviu a mesma voz dizendo: "Não beba, não fume, não desonre seu corpo, pois há uma obra para fazer, quando for maior". 

No dia 11 de junho de 1933, depois de um serviço de evangelização, quando batizava algumas centenas de pessoas no rio Ohio, uma luz rompeu as nuvens baixas e pairou sobre ele, e uma voz lhe falava: "Como João Batista foi enviado antes da primeira vinda, assim você é enviado antes da segunda vinda do Senhor". Muitas das 4.000 pessoas que assistiam ao culto do batismo desmaiaram quando apareceu o fenômeno no céu. Nesse mesmo mês teve uma visão que lhe antecipou sete eventos importantes: 12) Mussoline invadiria a Etiópia; 22) a Guerra Mundial; 32) três ismos: facismo, nazismo e comunismo; 49) Tremendo avanço científico; 52) queda moral no mundo; 6~) subjugação da nação americana (segundo ele, pela Igreja Católica Romana); 72) ruínas sobre a América. 

Durante uma reunião na cidade de Houston, Texas, E.U.A, a 28 de janeiro de 1950, foi tirada uma fotografia do irmão Branham que, depois de revelada, mostrou uma luz sobre a sua cabeça. Dizem que o negativo foi examinado por peritos, que confirmaram a autenticidade do fenômeno sobrenatural. Para os seguidores de Branham, isto foi um sinal evidente da aprovação de Deus sobre o seu profeta. 

A 22 de dezembro de 1962, o irmão Branham teve mais uma de suas visões, relacionada com a abertura dos sete selos, profetizados no Apocalipse. A confirmação da visão, segundo ele, se deu a 28 de fevereiro de 1963, nas montanhas do Arizona: uma poderosa nuvem na constelação dos Sete Anjos, em forma de pirâmide, apareceu no céu azul pouco antes do pôr-do-sol. Ele viu claramente os sete anjos que descreveu. A nuvem desceu sobre a montanha onde Branham se encontrava e uma voz lhe disse: Volte para o leste, para Jeffersonville, porque chegou o tempo de abrir os sete selos". Essa nuvem permaneceu sobre ele durante vários dias. Depois ele voltou para aquela cidade, onde pregou sobre os sete selos. 

Os adeptos da seita seguem a Bíblia, mas também os escritos de Branham, considerados inspirados, como a Palavra de Deus. Os seguidores do Tabernáculo da Fé utilizam-se de dois métodos para convencer as pessoas da veracidade de sua seita: dizem que suas revelações têm base bíblica e utilizam-se de milagres. 


FONTE


Nenhum comentário:

Postar um comentário