DEIXE SEU RECADO PARA O EDITOR

terça-feira, 14 de abril de 2015

TESSALÔNICA ANTES E DEPOIS


Cidade de Tessalônica

Origem

Ao contrário de Filipos, Tessalônica (em grego Θεσσαλονίκη - transl. Thessaloníki, "vitória sobre os tessálios") era tipicamente uma cidade grega - como se pode ver pelas moedas que ali foram cunhadas. Ela foi fundada em 315 a.C. por Cassandro, um dos generais de Alexandre o Grande, que deu o nome de sua esposa, meia-irmã de Alexandre, situada ao fundo do Golfo Termaico, junto a uma cadeia de colinas. Em 167 a.C. passou a ser capital do segundo distrito da Macedônia, e a partir de 146 a.C. tornou-se sede do governo romano na Grécia. Em 42 a.C., após a batalha de Filipos, Tessalônica foi feita uma cidade livre. A sua administração passou a ser por meio de uma "assembléia do povo" (demos), um conselho (boulé) que elaborava as leis e os decretos, e um colégio de cinco magistrados (politarcas), termo utilizado por Lucas em seus registros em Atos, e que demonstra a exatidão das informações mencionadas por ele. 


Nos dias de Paulo, a cidade possuía em torno de 40.000 habitantes vindos de todas as partes do Mediterrâneo. Era uma das menores capitais provinciais, atrás de Corinto aquéia, da Éfeso asiática, da Antioquia síria e da Alexandria egípcia. Mas o que a tornava importante era sua localização geográfica, e não sua extensão territorial.

Sua localização geográfica privilegiada era por ser servida pelas estradas mais importantes da época e que cortavam todo o império romano de oeste-leste e sul-norte:Via Egnatia, que saia da costa dálmata (hoje Albânia); Via Ápia que, saindo de Roma, ia em direção ao Ponto Euxino e à Ásia e a estrada vinda de Acaia (principalmente de Atenas) para o norte do Danúbio. Além disso, a cidade possuía um dos maiores portos da região para o Mar Egeu, o que a tornou um centro comercial que facilitava a exploração das riquezas agrícolas e minerais da Macedônia.

A economia da cidade era muito forte e graças a fusão do porto e das estradas tornou-se um centro comercial (interno e externo) de alimentos macedônicos (trigo-pão, uva-vinho, azeitona-oléo, leite-queijo, carne, frutos do mar-peixe); produtos de mineração e a cunhagem de moedas, madeira, produtos manufaturados (calçados, roupas e tecidos).

Situação Religiosa nos dias de Paulo

Por seu contexto histórico Tessalônica tornou-se uma referência quanto a divinização de imperadores, possuindo inclusive um templo para o culto a César. Em suas moedas a cidade de Roma e os seus imperadores eram retratados como divindades. As autoridades e classes ricas da cidade tinham muito interesse em incentivar e participar deste culto cívico, pois advinham vantagens econômicas e políticas.

Mas devido à sua população heterogênea, compostas de ítalo, sírios, egípcios e judeus havia uma efusão de cultos e divindades. Pelo menos vinte divindades eram veneradas, conforme atestam inscrições encontradas sobre os restos de monumentos.

Mas entre todos é preciso destacar o culto de Cabiros. Ele foi um herói mártir, assassinado por seus irmãos, enterrado com símbolo de poder real, e esperado para retornar a socorrer os indivíduos humildes e a cidade de Tessalônica em especial. Esta simples leitura é suficiente para se fazer a ligação direta com a mensagem cristã proclamada por Paulo.

Em meio a toda essa diversidade religiosa havia uma forte comunidade judaica com sua Sinagoga bem estabelecida e freqüentada por muitos prosélitos gregos e romanos, que assustados com o pluralismo e sincretismo religiosos, procuravam uma doutrina estruturada e um código de moral mais elevado.

Relatos Bíblicos

Tessalônica foi a segunda cidade européia a ouvir a pregação de Paulo (Atos 17.1-14) e provavelmente a primeira igreja a receber duas de suas epístolas (disputa com a epístola aos Gálatas esta primazia). A razão pela qual Paulo escreve a eles pode ser resumida: a) era uma comunidade recém-formada; b) estavam sob forte pressão, por causa do ambiente religioso pagão e forte oposição por parte dos judeus - são preocupações eminentemente pastorais.

Exatidão Histórica de Lucas

A cidade era administrada por uma "assembléia do povo" (demos), um conselho que preparava as leis e os decretos, e um colégio de cinco ou seis politarcas. A narrativa de Lucas, em Atos, é um registro preciso desta estrutura e nomenclatura conhecida em outros lugares (Atos 17.5-8). Durante muitos anos os críticos eruditos afirmaram que este nome ou título não aparecia em nenhum outro documento grego, e que, portanto, Lucas tinha cometido um erro ao empregá-lo.

Porém, tempos depois, esse título foi encontrado escrito em diversas ruínas de Tessalônica. As inscrições mais importantes no arco da porta de Vardar, que se estendia sobre a via Ignaciana na entrada ocidental da cidade. A inscrição diz em parte o seguinte: "No tempo dos politarcas, Sosipatros, filho de Cleópatra, e Lúcio Pontio Públio Flávio Sabino, Demétrio, filho de Fausto, Demétrio de Nicápolis, Zoilo, filho de Parmênio, e Menisco Gaia Agileu Poteito". A inscrição menciona os seis funcionários da cidade que encabeçavam a "assembléia do povo". É provável que ao chegarem na cidade, Lucas tenha notado esta inscrição no pórtico de entrada, e posteriormente se refere aos magistrados de maneira correta.

Tessalônica na História Cristã

No transcorrer da história do cristianismo, um acontecimento em particular tornou ainda mais famosas Tessalônica. Em 390 d.C. o imperador Teodósio o Grande mandou massacrar mais de sete mil de seus cidadãos por causa de uma revolta ali. Ordenou que fossem mortos sem consideração de posição, sexo ou grau de culpa. Foi então que o grande bispo Ambrósio, desejando vindicar os direitos da lei moral - em segundo lugar os direitos da igreja sobre o estado - recusou ao imperador a comunhão. Só depois que este se submeteu a uma penitência pública, implorou perdão e fez ainda certas promessas especificas, é que foi finalmente absolvido.

Tessalônica Atualmente

Segundo o censo de 2001, o município de Tessalônica tinha uma população de 363.987, enquanto a sua área urbana tinha uma população de 773.180, tendo uma área geográfica de 1,455.62 km. Com uma história de mais de 2.300 anos, é um das cidades mais antiga da Europa. Tessalônica é a segunda maior economia, industrial, comercial e político da Grécia central, e um importante centro de transportes para o resto do sudeste da Europa, o seu Porto continua sendo de grande importância para a Grécia e a Comunidade Européia do interior do sudeste. A cidade é conhecida por seus eventos e festivais, também é considerada centro cultural e educacional do norte da Grécia, sua Universidade Aristóteles é o maior da Grécia e classificada entre as 250 melhores universidades da Europa.

Rev. Ivan Pereira Guedes

[1] O Pretor era um magistrado romano investido de poderes extraordinários. Era hierarquicamente subordinado ao Cônsul e equivalia modernamente ao juiz ordinário ou de primeira instância.
Fonte:

http://reflexaobiblica.spaceblog.com.br/1438515/ATOS-Cidade-de-Tessalonica/

Mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário