DEIXE SEU RECADO PARA O EDITOR

terça-feira, 27 de março de 2012

MISS UNIVERSO



Miss Universo é nomeada embaixadora da ONU contra desertificação

Angolana Leila Lopes anunciou que estará no Brasil em junho durante a Rio+20

Publicidade
A atual Miss Universo, a angolana Leila Lopes, foi nomeada nesta segunda-feira (26) como embaixadora da ONU (Organização das Nações Unidas) para as zonas áridas do planeta e ajudará o organismo a combater a desertificação e a conscientizar o mundo do problema, que afeta 1,5 bilhão de pessoas.


— Como Miss Universo, me sinto honrada em dar minha voz à uma causa como esta.
 

Ela falou durante coletiva de imprensa na sede central das Nações Unidas, em Nova York, onde o secretário-executivo da convenção da ONU para combater a desertificação (UNCCD), Luc Gnacadja, entregou à angolana o certificado de embaixadora.
 

A mulher mais bonita do mundo mostrou sua determinação ao "chamar a atenção sobre o impacto da seca e a degradação do solo" e ao lembrar que "as regiões áridas não são zonas perdidas e podem ser salvas".
 

Essas áreas, onde vivem 38% da população mundial, são aquelas nas quais a seca e a erosão afetam a produtividade do solo, pondo em risco a sobrevivência de seus habitantes por falta de alimentos e água.
 

A ONU calcula que a degradação dessas áreas provoca uma perda de 12 milhões de hectares de terra produtiva por ano, onde seria possível colher 20 bilhões de toneladas de cereais.

— A cada minuto sem atuar, 23 hectares de terra são perdidos.
 

Sua apresentação foi em defesa da prevenção dessas regiões, que contêm 20% dos principais centros de diversidade de plantas e 30% das principais áreas de aves endêmicas.
 

A Miss Universo anunciou que, dentro de seu trabalho como embaixadora das terras áridas, visitará o Brasil em junho deste ano, durante a Rio+20, para pedir aos participantes que entrem em acordo sobre medidas para baixar a um "índice líquido zero" a degradação de terras.
 

Gnacadja, por sua vez, disse que a conquista de "uma gestão sustentável do solo é a solução para evitar a degradação da terra e a desertificação", e por isso incentivou os governos a trabalhar para conseguir "uma mudança de paradigma" para as zonas áridas.
 

Além de Leila Lopes, a UNCCD também nomeou este ano embaixador das zonas áridas do planeta o economista da Universidade de Colúmbia (Nova York) e assessor da ONU, Jeffrey Sachs.

"Copyright Efe - Todos os direitos de reprodução e representação são reservados para a Agência Efe."

Nenhum comentário:

Postar um comentário